Cambistas

Uma das “profissões” tí­picas aqui de Luanda são as cambistas, ou kinguilas. Digo “as” porque, curiosamente, a maior parte dos envolvidos no mercado negro de dinheiro são mulheres. Costumo vê-las sentadas pela cidade, junto aos mercados, perto das lojas, abanando vigorosamente os molhos de notas como leques, para afastar o calor e atrair clientes. O seu negócio é simples – trocam os dólares no banco que estiver a dar melhor cotaíão, e depois compram-nos na rua aos clientes, com uma cotaíão dois ou três kuanzas abaixo. Pequenas margens que, somadas, lhes dão para sobreviver. Para prosperar, já não sei…

Deixe a sua opinião ou comentário: