Cinema

Domingo fomos ao cinema pela segunda vez. Mais precisamente ao Cine-Atlântico, magní­fico exemplar da arquitectura colonial do pós-guerra. É um grande anfiteatro coberto mas sem paredes laterais, o que o torna bastante arejado e agradável nas noites quentes de Luanda. Fomos ver um filme de acíão, “Anacondas”. O filme, em si, não merece comentários – é um produto mediano da indústria americana de vender pipocas. Mas a experiência de o assistir naquela sala é inultrapassável. O cinema estava apenas meio cheio, mas cada espectador valia por dois. Nas cenas de acíão, e especialmente quando os heróis ultrapassavam um obstáculo qualquer, toda a gente aplaudia, gritava, incentivava. Numa cena em que uma heroí­na decapitava uma anaconda gigante, salvando um companheiro, até houve quem se pusesse em pé. Se fossem só meia dúzia de mal-educados, como em Portugal, seria desagradável. Assim, com toda a sala a vibrar na mesma onda, é uma erupíão colectiva de alegria, de entusiasmo, uma manifestaíão da magia da 7ª arte. A verdadeira festa do cinema.

Estes artigos talvez lhe interessem

Um comentário

  • brunio 20/03/2005   Deixe uma resposta a →

    ehhh… outro continente sem dúvida…nem dá para ficar chateado, mas sim abismado com a simplicidd de quem vive realmente o dia…e o cinema, neste caso…

Deixe a sua opinião ou comentário: