As pistolas sexuais do joãozinho podre

Ainda num registo de crítico musical improvisado, uma nota de audição sobre um disco que já ouvi centenas de vezes, embora há muito tempo atrás. Os meus dois filhos são fans dos “Green Day” e ouvem “American Idiot” sem parar. Resolvi apresentar-lhes o “Never Mind the Bulllocks Here’s the Sex Pistols”. Expliquei-lhes que eram os pais musicais e espirituais da banda de que eles tanto gostam, e que foram muito importantes para mim quando era jovem. Mas quando lhes toquei “Hollydays in the Sun” a reacção não foi a que eu esperava: “Isto é muita mau! Não nos faças sofrer mais”. E as músicas seguintes não mudaram a primeira impressão. Até posso perceber porque é que não gostaram do disco. Johnny Rotten não tem cordas vocais; tem um giz de má qualidade a riscar um quadro negro velho. As guitarras são básicas, estridentes e repetitivas. As letras (se é que se lhes pode chamar assim) são gratuitas e mal se entendem. Descolados de um momento na história e de um contexto na sociedade, quando o disco toca ouvimos apenas uma banda cujas fragilidades são evidentes. Mas, por favor, são os Sex Pistols. Haja respeito.

Um comentário em “As pistolas sexuais do joãozinho podre”

  1. Essa dos putos foi boa… hehehehe. não contavas com essa. Mas ainda têm tempo para começar a gostar dos Sex Pistols… Mas sinceramente João… Eu tb t com os putos… Abraço forte extensivo à familia.
    Rui Pombo

Deixe a sua opinião ou comentário: