Uma das coisas mais fáceis da vida é não escrever; se escrever fosse fácil toda a gente o faria. – William Goldman

Introdução

Vou começar hoje a alargar o âmbito deste blogue, introduzindo alguns artigos que, aos poucos, irão constituindo uma espécie de curso básico de escrita de guião.

O nome é um pouco pomposo, mas o objectivo desses artigos será muito simples: ajudar quem estiver interessado em escrever um guião para cinema ou televisão a dar os primeiros passos nesse sentido.

As perguntas que se colocam a essas pessoas são muitas: o que é essa coisa que dá pelo nome de argumento, guião ou roteiro? Para que serve? Como se escreve? Que formato tem? Por onde é que começo, se quiser escrever um? E, depois de o escrever, o que é que lhe faço?

Os artigos que eu tenciono escrever tentarão dar, de uma forma muito sucinta e elementar, respostas a essas perguntas. Quem tiver a paciência de os ler não vai tornar-se magicamente num guionista profissional. Mas vai ter algumas noções básicas essenciais, e um melhor entendimento do caminho à sua frente. Se lhes juntar determinação, talento, e um pouco de sorte, pode vir a ter a felicidade de ver o seu nome no grande écrã, no escuro de um cinema perto de si.

O que vai encontrar aqui

Os vários artigos que constituirão este curso básico vão abordar o essencial na escrita de um guião para cinema ou televisão[1].

Começarei por explicar o que é um guião, quem o escreve e quem o usa. Seguidamente abordarei as formas como pode surgir a ideia para um guião, e o seu tema.

Depois irei desenvolver alguns aspectos essenciais como a estrutura, os personagens e diálogos, os enredos e os géneros.

Passarei então a falar de algumas técnicas dramáticas básicas, antes de abordar aspectos mais práticos, como as considerações de produção, o desenvolvimento da história, o formato da escrita, e o processo (por vezes doloroso) da reescrita.

Terminarei dando algumas sugestões para ajudar a vender e produzir um guião já escrito, e apontando livros e outros recursos de informação úteis. Ao longo dos vários capí­tulos tentarei ir dando exemplos e, porque não, propor exercí­cios práticos que possam ajudá-lo a pôr mãos à obra. E, na medida dos possí­veis (tempo, disponibilidade e conhecimento), tentarei ir respondendo a questões que os eventuais leitores destes artigos me queiram colocar.

Recordo uma vez mais que este curso básico não é mais do que uma introdução a temas que são vastí­ssimos por natureza. Mas proponho-me ir enriquecendo sempre o seu conteúdo, conforme tiver tempo e inspiração. No próximo artigo vamos descobrir o que é realmente um guião.

Notas de Rodapé

  1. Ao longo destas páginas vou usar sempre a palavra guião, por ser a minha favorita. Mas o tema ainda é objecto de debate.[]

Estes artigos talvez lhe interessem

39 comentários

  • Mateus Inacio Bungo 13/09/2007   Deixe uma resposta a →

    Como se diz em ingles >. E fantastico. Isto e muito importante pra mim e para quelas outras pessoas que estao interessados em fazer este curso. Isto vai ajudar-me bastante nas minhas obras pessoas.

    Quase que fiquei sem comentarios. Prq e interessante demais

    Obrigado Joao

    Mateus

  • Jorge 18/10/2007   Deixe uma resposta a →

    E não é que descobri o sitio onde se encontram todas as respostas às perguntas que coloco a mim próprio desde os meus 15 anos…é mesmo aqui…
    Sou criativo por natureza e sempre desejei escrever algo mas nunca tive a noção (nem tenho) de por onde começar…Vou aprender tudo aqui e o resto a minha imaginação resolve…
    Acabou de aumentar o seu número de alunos(pelo menos mais um)!
    Muitos parabéns!
    Obrigado!

  • Margarida Gírio Mouta 24/12/2007   Deixe uma resposta a →

    Se calhar até não sou criativa, mas Escrevo… tenho curiosidade sobre construir guiões..nada sei

  • Margarida Gírio Mouta 24/12/2007   Deixe uma resposta a →

    Acho o vosso sítio interesante

  • Chissole 14/04/2008   Deixe uma resposta a →

    Até que enfim encontrei uma ajuda, ja estava a perder as esperanças de encontrar um caminho para que a minha pobre natureza que insiste em incitar-me escrever alguns rabiscos, mas sem noçao do que é certo ou o que é “o talento”..
    Obrigado.
    Posso ser mais uma na sua lista de candidatos que anseiam por aprender?

  • janice deluanrdo 15/05/2008   Deixe uma resposta a →

    gostaria de saber se este curso, como escrever para tv e cinema, sera oferecido para este ano de 2008 e quais sao as condiçoes de acesso e propinas.

  • Vi 02/06/2008   Deixe uma resposta a →

    Bem… Ainda bem que este site existe… Vou ter teste de Guionismo dentro de dois dias e devo dizer que a minha assiduidade às aulas não foi muito regular… E que ao ler estes artigos fiquei um pouco mais elucidada acerca do assunto…

  • Viktoria Kalamisk 08/06/2008   Deixe uma resposta a →

    Obrigado por você existir João!Parte da minha alma errante, perdida nesse imenso mar de informações virtualizadas, localizou-se. Possuo varios “livretos”escritos. Escrevo desde os meus 12 anos, mas nunca pude publicar nada. No interior das Minas Gerais só os grandes sobrevivem e minha essência viu-se apagada até encontrar essa gama de informações que como muitos afirmaram acima são imprescindíveis a quem quer organizar-se em roteiros ou guiões. Mais uma vez obrigada por ser essa pessoa iluminada que emana luz pelos continentes!
    Um grande abraço!

  • bernardo 21/07/2008   Deixe uma resposta a →

    Obrigado João por este site! Sou criativo e adoro a escrita e vou-me lançar a escrever algo co a preciosa ajuda do seu site…Mas quando eu escrever como faço? Posso-lhe mostrar para ver se tem interesse???
    com os melhopres cumprimentos,
    Bernardo

  • raquel 17/10/2008   Deixe uma resposta a →

    importante pelo custo do curso…nenhumestou orando por vc para que vc continue e eu possa realizR MEU SONHO de escrever roteiros…beijos

  • tomas 18/10/2008   Deixe uma resposta a →

    sera que podias postar aqui os guioes de LIBERDADE XXI?

  • João Nunes 18/10/2008   Deixe uma resposta a →

    Tomás
    Infelizmente não posso – ainda – disponibilizar os guiões, porque os episódios ainda não foram veiculados. Mas daqui a uns tempos penso poder colocar um ou outro.

  • nille benatti 30/10/2008   Deixe uma resposta a →

    João, muito obrigada! Estou lendo e estudando! Quem é que sabe onde podemos chegar…

  • nille 30/10/2008   Deixe uma resposta a →

    João, muito obrigada! Estou lendo e estudando. Quem sabe onde podemos ir… ;-)

  • e muito bom isso ajuda a melhorar a forma de escrver e estruturar o guiao

  • maria Aparecida 28/01/2009   Deixe uma resposta a →

    Ola gostaria de saber ,se ja esta previsto algum curso de roteirista para 2009?E também quero sugerir que seja criado um curso de roteiristas intensivo,com no maximo 5 dias,para pessoas que moram em outra cidade como eu .Obrigado.

  • luci licia B.P.Silva 16/04/2009   Deixe uma resposta a →

    João,Deus é maravilhoso enviou você para ajudar todos nos,obrigada queiro saber atraves de que,data ecomo e quando voce nos avisa sob o curso,e se tem algum custo.

    • João Nunes 21/08/2009   Deixe uma resposta a →

      O curso será gratuito, e irá sendo publicado aqui mesmo no blogue à medida da minha disponibilidade.

  • Victor Marlav 28/04/2009   Deixe uma resposta a →

    Meu querido amigo, tenho 64 anos e adoro o cinema. Já contracenei com grandes figuras do cinema e presentemente faço muitas coisas entre elas, pretendo escrever um guião, mas julgo ser um livro e depois um guião retirado do Livro sobre minha infãncia muito atribulada. Gostaria de realizar e encenar e porque não concorrer? Espero aprender algo sobre isso um abraço amigo, Victor

  • roberto 31/10/2009   Deixe uma resposta a →

       Apesar de nunca ter escrito nada nem me ter relacionado de forma alguma no passado com a escrita nao posso negar o prazer que escrever me poderia proporcionar no futuro. No entanto, tal como tantos outros, nao sei como nem por onde começar!  Espero encontrar aqui uma espécie de farol que se nao me levar a porto seguro pelo menos me indique em que direcção fica a costa… nem que seja para bater com a cabeça em alguma pedra!  Quando era pequeno tinha três sonhos, ir até á lua, conduzir um camião e escrever qualquer coisa engraçada! Um camião já conduzi, ir á lua parece-me que não está para breve mas no entanto fica o incentivo a este site tal como a todos outros que possam contribuir para a realização pessoal de quem os encontrar.
    P.S: alguém conhece algum site ou blogue que nos ajude a tornar astronautas? :-)

  • daniel 20/06/2010   Deixe uma resposta a →

    eu já entendi grande parte do funcionamento dos guiões etc….mas gostaria de saber se posso construir toda a minha historia apenas numa cena…quer dizer acaba por haver 5 cenas….mas há uma onde tudo se baseia. Pode parecer esquisito eu sei….mas já aconteceu alguma vez alguém escrever em tão poucas cenas?

    • João Nunes 20/06/2010   Deixe uma resposta a →

      Daniel, você pode construir a sua história como bem quiser, desde que funcione. A única coisa que tem de saber, obviamente, é que a sua história terá uma forma diferente de 99% das restantes histórias, e que para algumas pessoas isso fará, logo à partida, alguma confusão.
      Mas, por exemplo, num guião que deu que falar recentemente, e que já foi entretanto transformado em filme, – “Buried” – o protagonista passa todo o filme dentro de um caixão, apenas com um telemóvel para conseguir contactar com o mundo. É uma premissa arriscada, mas que o guionista soube resolver muito bem.
      Noutro exemplo mais antigo – “Phonebooth” – o protagonista também era obrigado a passar praticamente todo o tempo numa cabine telefónica. E já houve outros filmes que se passam todos, ou quase todos, num único cenário.
      São sempre opções complicadas, mas se você encontrou uma maneira de fazer com que a sua premissa funcione dentro desses parâmetros, pode estar no caminho de criar uma obra distintiva e única.

      • Richardson Luz 18/07/2010  

        Conheço vários filmes que possuem essa premissa, ou seja, ocorrer toda a história num só ambiente. Titanic é quase assim, conta um pouco antes e um pouco depois do embarque. Tem filmes que ocorrem todo num trem, um num navio (Navio Fantasma), num Shopping Center (Noite dos Mortos Vivos), enfim, são obras muito originais. Eu mesmo estou começando a criar uma história que se passa inteiramente numa escola.

      • João Nunes 18/07/2010  

        Eu não diria que o Titanic se enquadra dento desta categoria. Apesar de se passar quase todo dentro do navio, há uma enorme variedade de espaços com características bem diferenciadas, desde os grandes salões ao convés, dos quartos mais íntimos até às salas de máquinas, etc. Os restantes – comboio, shopping center, escola, fábrica, etc. – estarão a meio termo nesta classificação de “espaços confinados”.
        Por curiosidade, um filme muito recente baseado numa ideia do M. Night Shiamalan, chamado “Devil”, passa-se essencialmente (pelo que se percebe no trailer) dentro de um elevador.

  • daniel 21/06/2010   Deixe uma resposta a →

    Muito obrigado….eu teria problemas se a minha historia não fosse dentro desta cena… :) .Pensei que poderia empobrecer a historia…como não tenho grande experiência…não sei se torna-se cansativo o mesmo cenário por muito bom que seja o argumento..ainda bem que me falou desses filmes…acho que vou ar uma espreitadela…mais uma vez obrigado.

    • João Nunes 21/06/2010   Deixe uma resposta a →

      Só mais uma coisa, Daniel.
      Quando escrevemos um guião abrimos uma nova cena em duas situações:
      – de cada vez que muda o local onde a acção decorre;
      – e de cada vez que há um salto no tempo, mesmo que o local se mantenha; ou seja, quando há uma quebra na continuidade temporal.
      É o que acontece no guião que referi, “Buried” – a acção mantinha-se no mesmo local, dentro do caixão, mas as cenas mudavam quando havia saltos no tempo.
      Num outro guião mais recente, “Down”, a partir de certa altura a estória passa-se toda dentro de um elevador avariado. A única coisa que muda é a passagem de tempo. O autor tem o cuidado de destacar bem estas mudanças de tempo, escrevendo os cabeçalhos de cada cena nova de uma forma pouco comum mas perfeitamente justificada:

      INT. ELEVATOR – (9:09 PM) – (2 HR. 34 MINUTES TRAPPED)

      Por uma questão de quebrar a monotonia, o autor também intercala as cenas “normais” do filme com imagens gravadas pela câmara de vídeo de um dos personagens, e por imagens das câmaras de segurança do elevador.
      Boa sorte na sua escrita.

  • Ola o meu nome verdadeiro é Tiago eu tenho 13 anos. O meu sonho sempre foi ser director de cinema. Tenho montes de criatividade carisma e um dia espero vir a ser um grande director. Vou começar neste blogue e acabar com um bom trabalho e podre de rico.

    • João Nunes 03/07/2010   Deixe uma resposta a →

      Tiago, espero que consigas realizar o teu sonho, e se este blogue ajudar tanto melhor. Não te esqueças depois de me encomendar um guião para realizares ;)
      Mas antes deixa-me dizer-te uma coisa: uma pessoa não deve querer ser diretor de cinema apenas para ficar “podre de rico”. Se isso acontecer, óptimo. Parabéns. Conseguiste.
      Mas o que deve motivar o teu sonho é o amor pelo cinema, a vontade de contar estórias, o querer mostrar aos outros imagens e ideias e personagens que estão na tua cabeça e ainda ninguém mostrou antes. Para isso terás que trabalhar muito, aprender muito, esforçar-te muito. Como dizia o outro, “o único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário“.
      Mas é claro que, se tens a criatividade, o carisma e a determinação, vais conseguir chegar lá.
      Boas escritas e continua a sonhar.

  • Richardson Luz 21/07/2010   Deixe uma resposta a →

    Realmente, se pensarmos assim o Titanic foge do filme tipo “espaços confinados”. É que quis fazer uma referência a filmes onde toda a história se passa num mesmo ambiente. Shopping center (no caso da Noite dos Mortos-vivos) tem cenas em diferentes lugares, lojas, no estacionamento, no chafariz, no elevador e até no telhado do shopping. Não sei se concordas João, que este tipo de filme barateia muito os custos de produção, pois tem poucas locações. Eu particularmente gosto de pensar em histórias assim.

  • oiii td bem com vc eu querio muitoo faze um filme porfavoo porfavo msm por deuss

  • Como os ingleses dizem Caro, sou português permita-me que o trate por amigo João.
    Já sou um cota já fiz ínúmeras tentativas para escrever e normamlmente volto sempre ao seu blogue pois é muito importante para mim.
    Permita-me que no meu simples blogue faça link para o seu.
    Gostaria que me comentasse o Livro do Doc Comparato – Da criação ao Guião
    Continue a ajudar quem precisa
    Obrigado

  • Amigo,
    Sou brasileiro e encontrei o seu blog via google.
    Na verdade nunca trabalhei com escrita, mas gosto muito de escrever e sonho em um dia lançar um livro, até criei um blog onde colocava algumas de minhas idéias. Felizmente os leitores gostaram, embora não tenha dado continuidade às postagens (http://todomundopodecrer.blogspot.com/).
    Nos últimos meses algumas idéias surgiram em minha mente e vi que poderiam elas serem transformadas num roteiro de cinema, então acabei encontrando seu site e este curso introdutório ao guionismo. Vou estudar e quero aprender desta arte, afinal, acredito que posso ser um roteirista ou como queira, um guionista.
    Lucas Souza dos Santos – Vila Velha – ES

    • João Nunes 10/07/2011   Deixe uma resposta a →

      Desejo-lhe o maior sucesso. Não esqueça que na página de Recursos tenho vários roteiros que pode baixar para analisar como exemplos. Boas escritas.

  • Oi João, estamos tão longe mas ao mesmo tempo bem perto, seu sitio veio a calhar, leio outros também, mas senti mais proximo de vc com suas palavras cinceras e didáticas mas ao mesmo tempo diretas sem rodeio,
    sou Brasileiro meu amigo, tenho várias personagens, varios rostos, várias histórias de ficção que se passam num passado remoto e outras já bem futuristas, mas não sei “ainda” como me espressar…
    … Tenho que por tudo isso pra fora, não me importa o sucesso nem o dinheiro meu amigo, mas me daria um prazer imenso ver o meu nome numa écrã ou até bem menos que isso, que alguem pudesse um dia gostar de tudo que eu tenho pra contar. Pois bem, esse o motivo que estou frequentando o teu BLOGUE, gostaria de que me tirasse duvidas caso eu viesse em alguma vez a pergutar-lhe, acho que o primeiro passo para conseguir fazer meu primeiro GUIÃO já tenho: Muita força de vontade. agora preciso dedicar-me bastante, tô precisando daquele empurrãozinho…
    Continue inspirando todas essas pessoas inspiradas a inventar uma boa história.

    Valeu pelo Blogue, te desejo sucesso amigo.
    Netinho Almeida.

    • João Nunes 05/12/2012   Deixe uma resposta a →

      Obrigado, Netinho Almeida. Boa sorte nos seus projetos e boas escritas.

  • Catherinne Duarte 07/03/2013   Deixe uma resposta a →

    Cheguei agora ao blogue e gostei muito desta ideia. Boa iniciativa! Tenho algumas ideias que gostava de colocar em papel e certamente o blogue me irá ajudar com isso.

    • João Nunes 08/03/2013   Deixe uma resposta a →

      Boas escritas! Lembre-se que qualquer viagem começa com o primeiro passo.

  • Joao sousa 17/06/2016   Deixe uma resposta a →

    Joao nunes vou tratar te por você, pois és mais velho que eu. Gostaria de saber se você é guionista apenas ou também trabalha com produção. Gostaria de saber se você também produz filmes.
    Abraço Lisboa.

Deixe a sua opinião ou comentário: