Filmagens de “O Julgamento”

Estive ontem a assistir às filmagens da longa metragem "O Julgamento", que o Leonel Vieira está a realizar a partir de um guião meu e do Vicente Alves do Ó, que por sua vez foi escrito a partir de uma ideia original do guionista brasileiro Izaías Almada. São as contingências próprias de uma forma de arte colaborativa como o cinema.

Leonel Vieira a caminho do décor.

Fiquei satisfeito com o que vi. Os actores estão excelentes e conseguiram imprimir uma grande densidade ao texto, criando o ambiente pesado e dramático que ele exige. A fotografia do José António Loureiro e o estilo de realização que o Leonel está a adoptar para este filme contribuem ainda mais para esse clima asfixiante.

Júlio César e Carlos Santos nas filmagens.

Júlio César é Jaime, um antigo preso político; Carlos Santos é Mendes Oliveira, um ex-pide, que em tempos o prendeu e torturou. Na cena que ontem à noite foi filmada os dois dão mais um passo na revelação do passado que os une. Transcrevo-a a seguir tal como está na última versão do guião, onde ocupa cerca de duas páginas.

  • 85) INT. ESTÁBULO – NOITE
  • Jaime está sentado atrás de Mendes Oliveira. Fala-lhe perto do ouvido. O homem tem um ar esgazeado, vagueando com o olhar pelas sombras ameaçadoras que os faróis do jeep projectam.
  • P.O.V. de Mendes Oliveira – as sombras nas paredes parecem mexer-se, distorcendo-se e desfocando-se.
  • MENDES OLIVEIRA
  • Eu não quero morrer…
  • JAIME
  • Ninguém vai morrer.
  • O pide cabeceia de sono e Jaime puxa-lhe o cabelo.
  • JAIME
  • Acorda!
  • MENDES OLIVEIRA
  • Eu quero dormir, por favor, deixe-me dormir, só um bocadinho.
  • Jaime levanta-se de rompante. Contorna o homem e aproxima a cara dele.
  • P.O.V. de Mendes Oliveira – a cara de Jaime dança à sua frente, distorcida e ameaçadora.
  • JAIME
  • Não! Vais fazer exactamente como eu mando. Quem sabe… se correr tudo bem, talvez te deixe dormir… uma hora… Sim? Uma hora? Já viste?
  • MENDES OLIVEIRA
  • Uma hora?
  • JAIME
  • Uma hora inteirinha. Só tens que dizer o teu nome completo.
  • MENDES OLIVEIRA
  • Francisco Ferraz.
  • JAIME
  • Não! O outro, o verdadeiro.
  • MENDES OLIVEIRA
  • Fran-
  • Jaime dá-lhe uma bofetada.
  • JAIME
  • Assim não chegamos a lado nenhum e tu não dormes hora nenhuma.
  • Mendes Oliveira olha para ele, com o olhar desfocado.
  • MENDES OLIVEIRA
  • Esse nome já não existe, faz parte do passado.
  • Jaime endireita-se. Está a chegar a algum lado. Fala em voz baixa.
  • JAIME
  • Talvez esteja na hora de acordar o passado. Como é que te chamas?
  • Mendes Oliveira muda de expressão, deixando transparecer raiva e maldade.
  • MENDES OLIVEIRA
  • Queres saber o meu nome, cabrão? Eu digo-te quando te apanhar lá fora!
  • JAIME
  • Como é que te chamas?
  • MENDES OLIVEIRA
  • E essa puta que trouxeste agora – vou matá-la também.
  • Jaime descontrola-se e dá uma violenta estalada na cara do pide, rachando-lhe um lábio, que fica a sangrar.
  • Mendes Oliveira chupa o lábio ferido. Percebemos que continua a ser um homem perigoso, apesar da situação em que está.
  • Jaime esfrega a mão com que bateu no homem.
  • JAIME
  • Filho da puta…

Estes artigos talvez lhe interessem

4 comentários

Deixe a sua opinião ou comentário:

%d bloggers like this: