Documentário sobre o “Assalto ao Santa Maria”

A RTP fez um pequeno documentário sobre a rodagem da longa-metragem de ficção "Assalto ao Santa Maria", com entrevistas aos actores e realizador, Francisco Manso. Está disponível no YouTube e se tiver alguns minutos para o ver, fica com uma primeira ideia do que poderá esperar do filme, que deve estrear nos próximos meses.

O guião de rodagem do filme foi escrito por mim para a produtora Take 2000, do José Mazeda, a partir de um guião original do Vicente Alves do Ó.

Por curiosidade, deixo aqui o texto da cena que podemos ver no documentário.

EXT. SANTA MARIA / CONVÉS – DIA

Zé está de guarda às escadas que levam ao convés superior. Tem a espingarda pendurada ao ombro, como já o vimos antes.

Ilda aproxima-se, com a sua sempre presente câmara de filmar. Começa a filmá-lo.

ILDA

Faz adeus para a câmara.

ZE

Pára com isso!

ILDA

Que simpático.

Ilda sorri e Zé olha em redor.

ZE

O que é que queres de mim?

ILDA

Ontem... não te agradeci.

ZE

Pára com isso, Ilda! Estou de serviço.

Ilda ainda se ri mais por ver a aflição de Zé, e continua a filmá-lo.

ILDA

Ainda te lembras do meu nome. Que bom...

ZE

Não tens mais nada que fazer? Vai lá filmar o teu amigo americano!

Ilda desliga a câmara, agora séria.

ILDA

Eu filmo quem eu quero, ou tenho de te pedir autorização?

Zé fica surpreendido por esta reacção pronta.

ILDA

Ah, nem sei porque é que vim aqui! Adeus!

Vira as costas e afasta-se, aborrecida.

ZE (O.S.)

Ilda!

A rapariga hesita e depois vira-se.

ZE

Eu saio às cinco...

Ilda sacode a mão num gesto de enfado, mas quando se vira não consegue evitar um sorriso.

Estes artigos talvez lhe interessem

2 comentários

  • Fir 26/09/2008   Deixe uma resposta a →

    Caro João,

    tenho uma dúvida que surgiu na leitura deste excerto do guião.
    Que quer dizer a sigla “O.S.”?

    Obrigado.

  • João Nunes 26/09/2008   Deixe uma resposta a →

    Olá,
    (O.S.) é a abreviatura de Off Screen (fora do écrã). Aplica-se quando um personagem está presenta na cena mas fala sem estar nesse momento a ser mostrado pela câmara. Por exemplo, alguém que fala da sala do lado, ou que fala enquanto a câmara mostra outro personagem.
    Não confundir com (V.O.) – Voice Over (voz sobreposta) – que se aplica em todas as outras situações em que se ouve uma voz que não pertence a um personagem em cena. Por exemplo, a voz de um narrador; a voz que vem de um telefone; a voz de quem escreveu uma carta que está a ser lida; a voz que sai de um altifalante; a voz dos pensamentos ou memórias de um personagem, etc.
    Em Portugal usa-se muitas vezes a expressão (OFF) em substituição quer do (O.S.) quer do (V.O.) mas parece-me uma solução menos correcta.

Deixe a sua opinião ou comentário:

%d bloggers like this: