Morreram John Hughes e Blake Snyder

O mundo do guionismo ficou um pouco mais pobre esta semana: John Hughes e Blake Snider foram juntar-se a Budd Schulberg.

ferris_buellers_day_off

Para mim, que já não era um adolescente na década de 80, John Hughes provavelmente não significa tanto como para todos os que viram "16 candles", "The breakfast club" ou "Pretty in pink" cheios de borbulhas na cara. Mas, apesar disso, lembro-me de ter visto todos esses filmes, de me ter divertido com cada um deles, e de ter gostado muito de "Pretty in pink". E o fantástico "Ferris Bueller’s day off" é um dos meus filmes favoritos dessa década. Apesar de já não o ver há muito tempo, recordo perfeitamente o final na parada, uma extraordinária cena muda no museu, e o tom geral do filme, com o protagonista a falar diretamente para o espectador, que lhe conferia uma personalidade muito própria..

Blake_SnyderQuanto a Blake Snider, o meu conhecimento dele é mais recente. Era um guionista bem sucedido, com inúmeros guiões vendidos (embora nem tantos assim produzidos), que se tornou mundialmente famoso através da publicação de um livro de guionismo: Save the Cat!: The Only Book on Screenwriting You’ll Ever Need: The Last Book on Screenwriting You’ll Ever Need. É possivelmente o livro de escrita com mais "regras absolutas", que vão desde as páginas em que cada etapa do guião deve acontecer até às características específicas de cada género. Mas debaixo dessa aparência formulaica e rígida encontrava-se um raciocínio bem estruturado, um grande sentido de humor e uma enorme quantidade de conselhos, dicas e regras de escrita que vale a pena ler e meditar. Regras como "o Papa na piscina", que eu não me canso de citar nas aulas de guionismo que dou.

Não foi só o mundo do guionismo que ficou mais pobre; foi o mundo, ponto final.

Deixe a sua opinião ou comentário: