Procrastinação

Estes artigos talvez lhe interessem

5 comentários

  • berni ferreira 01/12/2009   Deixe uma resposta a →

    Viva, João
    Acho que alguém acabou de contar a história da minha vida… ou pelo menos parte dela. Era só trocar as chávenas de café por chávenas de café, aumentar o número de cigarros fumados e trocar as lavagens de louça e as rearrumações de mobiliário pelo inverso (cozinhar sem lavar a louça depois e desarrumar) e estaria descrito um exercício que é familiar a quase qualquer pessoa: adiar uma tarefa, seja ela qual for.
    O filme é mesmo muito bom.
    Só mais uma acha para a fogueira: quando se fala em bloqueio de escritor, não seria mais exacto falar-se em procrastinação?
    P.S.: tinha uma dúvida que gostava de lhe colocar (sobre cabeçários secundários), mas o formulário de contacto não aparece na página (apesar de estar anunciado antes). Problema do meu software, ou do blog?
    Cumprimentos a todos

    • João Nunes 01/12/2009   Deixe uma resposta a →

      Olá Bernie,
      “procrastinação” é uma palavra que me chegou via blogues e livros de escrita anglo-saxónicos. Para dizer a verdade ainda nem fui ao dicionário ver se existe em português (no corretor ortográfico dá erro…).
      Mas se não existe, devia existir, porque corresponde a uma realidade que todos vivemos. Eu acho que tem a ver com a diferença entre a ideia imaginada e a ideia concretizada. A última nunca tem o esplendor da primeira, e como nós inconscientemente sabemos disso tentamos adiar a passagem do “ideal” (que só existe na nossa cabeça) para o real, concreto, imperfeito.
      Quanto à sua dúvida, já pode enviá-la pelo formulário de contacto. O plug-in que gere esse formulário tinha ficado desativado num upgrade, e eu não dei por isso.
      Boas escritas, João

  • Grande Animação! E tal como diz o Berni, é parte da minha vida! Na realidade, o facto de estar a qui a ver e escrever isto faz parte do processo de procrastinação que se tem vindo a prolongar desde há uns 6 meses!
    Quanto à palavra “procrastinar”, também eu há uns tempos fiquei curioso sobre ela, pois tendo-a visto em inúmeros discursos/comentários/blogues/foruns ingleses achei que era uma palavra que, se não existisse, teria de ser inventada. Por isso procurei-a, e segundo um Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora antigo, de 1976, existe e quer dizer: deixar para o dia seguinte; adiar; protrair; demorar; espaçar; usar de delongas (Lat. procastinare).

    Quanto mim, vim aqui ter porque estava curioso sobre o seu trabalho e gostaria de falar consigo, visto ter gostado do trabalho desenvolvido n’”O Dez”, no qual participei. Bom, mas acho que vou deixar isso para outro dia!

    Cumprimentos,
    FM

    • João Nunes 27/05/2010   Deixe uma resposta a →

      Fernando, obrigado pelo esclarecimento sobre a palavra “procrastinar”. É como diz: se não existisse tinham de a inventar, çorque é uma realidade de todos os autores.
      Quanto ao Dez, fico satisfeito por ter gostado. Em que condição participou no projeto?

  • Fernando Martins 29/05/2010   Deixe uma resposta a →

    Olá João! Comecei a responder aqui mas acabei por lhe responder por email. Espero que não se importe. Mas rapidamente: participei nos efeitos visuais da série em vários episódios.

Deixe a sua opinião ou comentário: