Perguntas e Respostas: guião ou storyboard?

Há pouco tempo passei a fazer animação e para isso preciso de roteiro. Também gosto de escrever e descobri o CeltX. Acho que ele pode me ajudar a organizar tudo melhor, porém tenho uma dúvida:  para trabalhar com animação, qual template você acha que devo usar: o StoryBoard ou o de filme? – – Gedeon

Olá Gedeon, o storyboard e o guião não são alternativas um ao outro, mas sim ferramentas complementares, que cumprem funções diferentes.

O guião costuma ser anterior ao storyboard, e serve para apresentar a estória do início ao fim, cena a cena, com a descrição de todas as acções e diálogos. É uma obra da responsabilidade exclusiva do guionista, pelo menos na fase inicial de escrita, até este terminar a primeira versão, o famoso 'first draft'[1].

O storyboard, pelo contrário, já é da responsabilidade do diretor, que trabalha normalmente com um ilustrador especializado, e o usa para visualizar as cenas mais importantes ou complicadas do guião, antes de as filmar. Em animação o storyboard é ainda mais importante, e essencial para visualizar todas as cenas,

Assim, no guião define-se o enredo, a estrutura e o ritmo geral da estória; no storyboard define-se a interpretação visual de cada cena em particular.

Como diz que começou a fazer animação, presumo que esteja a acumular as duas funções – guião e realização. Mas mesmo que assim seja, deverá seguir o processo normal: desenvolver primeiro a estória, escrevendo o guião; e visualizar depois as cenas, usando o storyboard.

No entanto, no seu caso, é possível que o processo venha a ser mais interativo, ou seja, é possível que enquanto ainda estiver a escrever o guião comece logo a visualizar algumas cenas no storyboard e, em função delas, queira introduzir algumas alterações  na estória, etc. Isso acontece com frequência em animação, mas os bons criadores nesta arte nunca esquecem uma preocupação: a estória vem primeiro.

Por alguma razão um filme como "Toy Story" conseguiu ganhar o Oscar de melhor roteiro original.

Notas de Rodapé

  1. que na realidade não é o 'primeiro primeiro', mas sim 'o primeiro apresentável'[]

Estes artigos talvez lhe interessem

4 comentários

  • António Sequeira 21/12/2010   Deixe uma resposta a →

    Olá de novo,
    Gostava de saber se sabe ou se existe algum software para o pc que consiga fazer bons storyboards. É que eu já instalei alguns, mas não valem nada. Eu gostava que existisse um que fosse prático e ficasse com uma boa aaparência. Se souber de algum programa, por favor pode dizer-me?

    Atenciosamente,
    António

    • João Nunes 05/01/2011   Deixe uma resposta a →

      Olá António, infelizmente não sei nada sobre esse tipo de software. Sei que o CeltX tem um módulo de storyboard, mas parece-me um pouco rudimentar.

  • Rodrigo Almeida 22/10/2011   Deixe uma resposta a →

    Olá João, tenho duas duvidas.
    a primeira: tem um manual em Pt do CeltX ?
    a segunda: Qual a diferença do trabalho do roteirista e do Diretor?

    • João Nunes 23/10/2011   Deixe uma resposta a →

      Não tenho nenhum manual, apenas o tutorial que já deve ter visto: http://joaonunes.com/2008/guionismo/celtx-um-tutorial-de-escrita-de-guiao/
      Quanto às diferenças entre roteirista e diretor, são muitas: o roteirista é o primeiro autor de um filme. É ele quem desenvolve e escreve a estória num documento chamado roteiro, que depois serve de “guião” (guia, mapa, referência) para todas as pessoas que vão trabalhar no filme. Muitas vezes a estória é imaginada de origem pelo roteirista; noutras ele é contratado para desenvolver um tema ou uma ideia que alguém teve (produtor, diretor, ator) ou para adaptar um material já existente (uma novela ou um comic book, por exemplo).
      O diretor é o profissional contratado pelo produtor para transformar a estória narrada no roteiro (que é um documento escrito) numa colagem de imagens e sons que contem a mesma estória num formato audiovisual.
      Ao princípio o roteirista trabalha normalmente sózinho (ou em dupla), escrevendo a primeira versão do roteiro. Mais tarde recebe do produtor e do diretor opiniões e orientações para alterar o seu trabalho segundo os interesses deles.
      O diretor, pelo contrário, tem de dirigir uma equipa imensa, que vai desde o diretor de fotografia aos atores, de forma a que todos contribuam para o filme ser feito segundo a sua interpretação do roteiro. Ele é um gestor dos talentos que o rodeiam, aproveitando-os da melhor forma possível e encaminhando-os numa determinada direção.
      Porque é que às vezes à confusão entre os trabalhos do diretor e do roteirista? É que muitas vezes os diretores também escrevem os próprios roteiros, vestindo as duas camisolas (às vezes ainda produzem, vestindo uma terceira). Mesmo quando isso não acontece, as opiniões do diretor e a sua visão do filme são sempre tidas em conta no desenvolvimento do roteiro. Raramente um diretor aceita dirigir uma cena com a qual não concorde, por isso é normal o roteirista ter de alterar essa cena, procurando uma alternativa que agrade aos dois.
      O diretor é muitas vezes considerado pelos críticos como o autor da obra, assinando-a como “Um filme de xpto”. Normalmente não concordo com esse crédito, que é reducionista. O cinema é uma arte coletiva, em que o resultado depende da colaboração de muitas pessoas, sendo que uma das mais importantes é o roteirista, pois sem ele não há estória para filmar. Só em alguns casos, como Kubrick, Hitchcock, e outros poucos, a visão do autor é tão marcante que justifica considerá-lo como o autor da obra. A legislação dos direitos de autor reconhece isso, e considera o diretor como co-autor dos filmes, juntamente com o roteirista e o compositor musical. Infelizmente hoje todos os diretores querem ter o crédito exclusivo de autor do filme, mesmo que estejam apenas em começo de carreira e dêem um contributo limitado para o resultado final. Já escrevi um artigo sobre isso em http://joaonunes.com/2007/guionismo/perguntas-respostas-quem-e-o-autor-do-filme/

Deixe a sua opinião ou comentário:

%d bloggers like this: