Perguntas & Respostas: como descrever uma cena em reverso

Estou com uma dúvida: como posso usar INSERT no sentido de fazer o filme rodar para trás rápido, sem que se possam identificar as imagens. Não sei se uso DISSOLVE TO:, FUSÃO PARA:, ou se devo usar BACK TO: ou VOLTA PARA: — Malu

Malu, ao que percebi pretende escrever uma sequência de imagens que mostram cenas anteriores aquela em que estamos (o presente narrativo), em reverso, como se estivéssemos a rebobinar o filme até chegar a um momento anterior. Será uma espécie de flashback em que, em vez de saltar directamente para o passado, vemos, em sequência acelerada, imagens soltas do que se passou entre um e outro momento.

Se é esta a situação, penso que não há nenhuma convenção pré-definida para a descrever. E nos casos em que não há uma regra especial, aplica-se a regra geral: escrever exactamente o que o espectador vai ver no ecrã.

No filme The Curious Case of Benjamin Button o guionista Eric Roth encontrou uma situação semelhante.

No início do filme há uma cena em que um relógio é inaugurado na estação de comboios. Quando as pessoas presentes se apercebem de que o relógio anda no sentido contrário o relojoeiro, que perdeu o filho na guerra, explica que o fabricou dessa forma sonhando que o tempo pudesse andar para trás devolvendo à vida todos os soldados mortos. Na cena de batalha seguinte é isso que vemos; o tempo a andar para trás.

Analisemos como Eric Roth escreveu a cena:

INT. THE NEW TRAIN STATION, NEW ORLEANS – DAY, 1918

And we see a large throng gathered to watch the unveiling of the clock.

(...)

Everyone cheers... until they realize the clock is going the wrong way... traveling backwards in time...

A man shouts, “It’s running backwards!”

MONSIEUR GATEAU

I made it this way... so that perhaps, the boys who were lost in the war might stand and go home again...

EXT. BATTLEFIELD – DAY, 1918

And we see just that... bullets leaving mens’ wounds sailing back into the rifles from whence they came... limbs, whole again... cannon balls rocketing backwards into the cannons’ breech... Fallen come to their feet, to live and breathe again.

MONSIEUR GATEAU (V.O.)

... home to farm, to work, have children, to live long, full lives...

Como se pode ver, na descrição da cena de batalha em reverso o autor limita-se a registar o que se o espectador vai ver: "Vemos isso mesmo… projécteis que deixam as feridas dos homens e regressam às armas de onde saíram… membros de novo inteiros… balas de canhão acelerando em direcção aos canos dos canhões… Os tombados erguendo-se, para viver e respirar de novo."

A descrição é clara e simples, e dá ao leitor do guião a ideia perfeita do que vai ver no filme.

O seu problema, contudo, é ligeiramente diferente, pois quer partir do momento atual para o passado, em contínuo. Por outro lado não lhe interessa mostrar com clareza as imagens intermédias, ao contrário do exemplo anterior, em que elas eram mesmo mostradas com todo o pormenor (em slow motion, no filme).

Como é que eu descreveria então esta situação? Poderia ser qualquer coisa como isto (o exemplo é, obviamente, inventado):

EXT. PRAIA – DIA

Uma onda chega à areia, arrastando algas e uma garrafa de plástico. A onda recua, revelando de novo a areia molhada.

Quando a onda seguinte chega, arrasta com ela...

... o corpo de PEDRO, que fica imóvel na orla do mar. Parece estar morto.

CORTA PARA:

SEQUÊNCIA DE IMAGENS

Vemos uma sequência de imagens que retratam, em reverso e cada vez mais rapidamente, os acontecimentos que conduziram ao momento anterior:

– o corpo de Pedro é "puxado" de novo para a água;

– as ondas arrastam o corpo de Pedro em reverso;

– no mar alto Pedro debate-se contra a força das ondas, ainda vivo;

– Pedro é apenas uma mancha no mar de tempestade;

A certa altura a velocidade desta sequência de imagens aumenta tanto que deixamos de conseguir distingui-las. Percebemos apenas detalhes soltos:

– o mar tempestuoso;

– um navio transatlântico na tempestade;

– pessoas;

– o céu azul e o mar calmo;

– o mesmo navio numa viagem tranquila;

– um porto de mar...

Subitamente, a velocidade das imagens diminui e...

CORTA PARA:

EXT. PORTO DE LISBOA – DIA (FLASHBACK)

.... estamos no cais do porto de Lisboa.

Pedro – o homem que vimos dar à costa – está de mala de viagem na mão e mostra o bilhete de embarque a um funcionário fardado.

Enquanto espera olha com satisfação para o navio onde se prepara para embarcar.

Legenda: TRÊS DIAS ANTES

O funcionário devolve o bilhete a Pedro com um sorriso e...

(...)

Conforme referi antes, o importante é descrever de forma bem clara o que o espectador vai ver no ecrã. Se não queremos que ele perceba totalmente as imagens que está a ver, devemos explicar isso para que o leitor do guião o entenda. Na descrição que fiz espero ter deixado isso claro.

Acima de tudo, não use as outras expressões que mencionava na sua questão (INSERT, DISSOLVE:, BACK TO:) que se aplicam em situações muito específicas, que não esta. Espero que o pequeno exemplo que inventei lhe dê ideias sobre como abordar a sua cena específica.

Estes artigos talvez lhe interessem

4 comentários

Deixe a sua opinião ou comentário:

%d bloggers like this: