Que Sociedade Portuguesa de Autores é esta?

Importante: Se concordar com o conteúdo deste artigo, por favor deixe a sua assinatura no abaixo-assinado de protesto contra a SPA

A SPA – Sociedade Portuguesa de Autores, em colaboração com a RTP, decidiu este ano criar o Prémio Autores SPA/RTP.

Curiosamente, nas áreas de cinema, televisão e teatro, nenhum autor foi premiado.

A gala passou na RTP esta semana, e diz quem foi que foi muito bonita. Quem foi, porque conheço vários autores de obras nomeadas e até premiadas, que não foram sequer convidados.

Eu não tenho, obviamente, nada contra o fato de serem atribuídos prémios às obras produzidas, recebidos pelos produtores e encenadores, e aos atores e atrizes que nelas entraram.

Todos contribuem para o resultado final de uma obra de cinema, televisão ou teatro, e merecem ser premiados nas suas categorias. Como também mereceriam os diretores de fotografia, cenógrafos, etc., se houvesse essas categorias de prémios.

Mas acho incompreensível que os argumentistas e dramaturgos, primeiros autores das obras selecionadas, não tenham sido premiados, nem tão pouco oficialmente mencionados. Noutra cerimónia de prémios qualquer seria triste, mas infelizmente já estamos habituados. Numa cerimónia destinada a, nas palavras do vice-presidente da SPA, "enaltecer o trabalho dos autores", chega a ser insultuoso.

A APAD – Associação Portuguesa de Argumentistas e Dramaturgos, de cuja direção eu faço parte, não podia ficar alheia a isto. Escrevemos pois uma Carta Aberta à SPA manifestando a nossa indignação, em nome de todos os argumentistas e dramaturgos portugueses.

O texto pode ser lido aqui.

E vamos avançar com mais inciativas, podem acreditar.

Atualização: a direção da APAD colocou online um abaixo-assinado de Protesto contra a SPA. Pode juntar a sua assinatura aqui.

Estes artigos talvez lhe interessem

11 comentários

  • berni ferreira 13/02/2010   Deixe uma resposta a →

    Se me fosse permitido escrever aqui que é preciso uma p*ta duma grande lata para um “esquecimento destes”, escrevê-lo-ia. Como não sei se é, espero que a ideia passe apesar do asterisco.

    Sociedade Portuguesa dos quê?…

    Já assinei. E vou tentar divulgar.

    Espero sincera e talvez ingenuamente que o protesto não caia em ouvidos moucos.
    Grrrr.

  • jorge arada 15/02/2010   Deixe uma resposta a →

    A sociedade Portuguesa de autores não passa de mais um compradio onde os amigos e quem bem querem é que têm os beneficios da mesma .Alguns anos atrás dirigi-me ao serviço de contecioso da SPA e perguntei a este departamento se uma obra minha registada no IGAC e na SPA era ou não um trabalho igual ao que passava num canal por cabo.A obra está registada e deferida no IGAC e consequentement não é uma ideia e está de acordo a lei de direito de autor, a resposta do contecioso foi que a mesma obra era uma ideia e como as ideias não são possivéis de registo a SPA não fez nada porque são inoperantes e incompetentes.Sendo assim para que serve a SPA?

  • Por acaso, é a mais pura verdade. Ser autor é ser mero figurante em todo o processo de produção/realização/ou encenação, onde todos intervêm sem pudor, acrescentando e retirando conforme entendem.
    Quem ousaria fazer isso a um encenador ou realizador/produtor?
    Também é a função mais democratizada que conheço: encenador escreve; realizador escreve; autor só escreve; não encena, nem realiza.
    Não pensem que isto é algum tipo de inveja, concordo inteiramente com o João quando diz: “ Todos con¬tri¬buem para o resul¬tado final de uma obra de cinema, tele¬vi¬são ou tea-tro, e mere¬cem ser pre¬mi¬a¬dos nas suas cate¬go¬rias.”
    Mas penso que não deveriam ser exclusivamente as áreas com visibilidade a terem direito a serem lembradas. Faltam muitas outras: como a cenografia, figurinos, direcção de cena…etc. e tal…
    De qualquer forma, em relação às nossas entidades em prol da cultura, desculpem-me a franqueza, mas às vezes parece-me um grupo de amigos, onde reinam sempre os mesmos, uma espécie de oligarquia da criatividade. Mas isto é só a minha opinião.

    • jorge arada 18/02/2010   Deixe uma resposta a →

      Olá Elsa
      Já que há muitas mãos a tocar num guião e todos quem ser “os heróis da fita” o que eu sugiro é que escreva o guião da maneira mais simples e directa, como se estivesse a explicar a uma criança de modo a comprender para assim não haver mudanças no que se escreveu primeiro.Fiz-me entender?

      • Elsa 20/02/2010  

        Perfeitamente.

  • Jorge,
    E muito obrigada pelo seu conselho.

  • jorge arada 26/02/2010   Deixe uma resposta a →

    Nas primeiras páginas da revista Sábado há uma notícia sobre a gala da SPA , sugiro que a leiam.

  • jorge arada 03/03/2010   Deixe uma resposta a →

    Olá Pessoal

    Têm aqui estas págs: para arranjarem contactos para desenvolver os vossos trabalhos,boa sorte.

    http://www.afilmwriter.com
    http://www.kftv.com
    http://www.teako170.com
    http://www.1000agentsliterary.com
    http://www.agentquery.com

Deixe a sua opinião ou comentário: