o leopardo

Suso Cecchi d’Amico e a origem do termo ‘escaleta’

Em conversa com o realizador José Fonseca e Costa descobri hoje a origem do termo 'escaleta', que usamos em Portugal para traduzir o inglês 'outline', ou mais especificamente, 'step-outline'.

O termo é a adaptação do italiano 'scaletta' e foi deixado entre nós pela grande argumentista Suso Cecchi d'Amico num seminário que deu na Gulbenkian, há muitos anos. Tanto quanto consegui apurar, 'scaletta' é um diminutivo de 'scala' que, entre outras coisas, quer dizer 'escada'.

Daí que, segundo Fonseca e Costa,  Suso Cecchi d'Amico definisse a 'scaletta' como "o registo dos degraus que o protagonista tem de subir para chegar ao fim da história".

Parece-me uma excelente definição pois implica, por analogia, dois conceitos fundamentais para a escrita dramática: a estória não é um mero passeio do protagonista, é um percurso que ele faz com dificuldade, como subir uma escada; e a estória segue sempre em crescendo – os obstáculos, os problemas, devem ser cada vez mais difíceis de ultrapassar.

A propósito: Suso Cecchi d'Amico foi uma das convidadas especiais da Conferência Mundial de Argumentistas, em que eu participei, em Novembro passado. Devido à sua avançada idade não esteve presente, mas gravou um vívido testemunho que foi passado a encerrar o evento. Além de ter sido uma das fundadoras da associação de argumentistas italiana, há 60 anos atrás, tem um currículo impressionante, com mais de uma centena de títulos como argumentista, incluindo obras primas como "Ladrões de bicicletas", "Rocco e os seus irmãos" e o incontornável "O leopardo". Admirável.

o leopardo

Burt Lancaster, em O Leopardo

Estes artigos talvez lhe interessem

4 comentários

  • Cícero Soares 06/04/2010   Deixe uma resposta a →

    Que curioso, João. O uso do termo escaleta é bem assentado aqui, ao contrário da denominação inglesa, que não enraíza de jeito nenhum.

    E o curioso é que, antes de especular sobre uma migração do termo via Portugal, é mais razoável supor uma ramificação via Itália. Nos anos 50, o cinema brasileiro sofreu uma forte influência do neo-realismo italiano, e a coisa não ficou só na estética. Pensou-se, com a fundação dos estúdios da Vera Cruz por exemplo, também na melhoria da profissionalização dos quadros técnicos envolvidos na produção cinematográfica, em todos as suas fases. E já que roteiro também é uma fase (degrau?) técnica dela… será que veio dessa época a adoção brasileira da “scaletta”, uma fase (degrau?) da escrita da, hum, “sceneggiature”? rs.

    Enfim. Só especulando.

    • João Nunes 06/04/2010   Deixe uma resposta a →

      É provável que assim seja. Acho que nessa altura não havia muitas ligações entre o cinema português e o brasileiro (ainda hoje há poucas, infelizmente) e é mais natural que ambos tenham ido buscar a expressão à mesma fonte italiana.
      Por outro lado, admito até que na escrita das telenovelas portuguesas, onde a ‘escaleta’ é muito usada, a palavra tenha sido reintroduzida em Portugal via influência brasileira, que é muito forte nessa área. Mas isto é também apenas especulação.

Deixe a sua opinião ou comentário:

%d bloggers like this: