≡ Menu
As cem frases mais foleiras do cinema

Alguém teve a paci­ên­cia de mon­tar um vídeo que anda a cor­rer aí nas nets com uma selec­ção de fra­ses folei­ras do cinema.

Na minha opi­nião, nem todas são tão folei­ras assim: “I’m here to chew gum and quick ass; and I’m all out of chewing gum” de “They live“, é fabulosa.

Outras, embora ale­ga­da­mente folei­ras, atin­gi­ram um nível de fama que as eleva desse nível para o da cul­tura popu­lar: “I’m the king of the world!“, do filme que mais bilhe­tes ven­deu, é o que é.

Mas as que res­tam são, ine­ga­vel­mente, folei­ras. E muito diver­ti­das nesta montagem.

Acerca do autor: João Nunes é um autor, guionista e publicitário que divide o seu tempo entre Angola, Brasil e Portugal. Conta com mais de 3000 páginas de guiões produzidas sob a forma de longas metragens, telefilmes, e dezenas de episódios de séries de televisão.

5 comentários… add one

  • berni ferreira 27/01/2010, 12:28

    Acho que é quase impossível alguma frase não se transformar em frase foleira depois de sair da boca do Arnold Schwartzenegger.

    Agora não tenho tempo para mais. Sinto uma súbita necessidade de ler os meus guiões todos para ter a certeza de que não incluem frases candidatas a entrarem em listas deste género…

    • João Nunes 27/01/2010, 13:28

      Discordo completamente!
      I’ll be back” é e será sempre um clássico ;)

  • berni ferreira 27/01/2010, 15:30

    Sou obrigado a concordar consigo, João (há uma aventura gráfica que chega a dar ao jogador quatro hipóteses de resposta numa parte do jogo: “I´LL be back”, “i´ll BE back” e “i´ll be BACK”).

    Mas mesmo uma frase cheia de potencial como “hasta la vista, baby”, transforma-se num mítico exercício de comédia no mesmo filme.

    Digamos que o senhor consegue arruinar 99,8% das frases que diz. Isto para chegarmos a um acordo sem eu ter que ceder ainda mais, claro.

    Abraço

    p.s.: mais prendas como este post são sempre bem vindas!

    • Citizen Pete 29/01/2010, 12:06

      Em relação ao “T2″, há que ver o contexto e argumento… se nos abstrairmos do Arnie, se a frase é foleira então eu diria que a culpa é do John Connor!

      Ele é que é o adolescente que usa as expressões e que ensina aquelas frases ao robô que, coitadinho, se calhar só tinha “software de fala” para um Inglês mais rudimentar… sabia lá falar Espanhol! Há que ver que ele é um modelo já ultrapassado, enquanto que o outro atravessa grades e afins.

      Imaginemos um Terminator interpretado pelo Stallone, Lundgren, etc. A nível de imagem, talvez resultasse. A nível de “one-liners”… nunca!

      Bom, talvez o Chuck Norris.

  • Citizen Pete 29/01/2010, 11:54

    Olá, João. Neste momento não consigo ver o vídeo mas ao ver a imagem do “300″ lembro-me desses “filmes de campo de batalha” e como depois do “Braveheart” (não que não se fizesse antes) a cena do líder a motivar os soldados tornou-se tão repetitiva… a meu ver é um pouco irritente, mas se era assim que acontecia, quem sou eu para julgar, claro!

    Em relação ao “They Live” (que é absolutamente fantástico) uma correcção para “KICK ass”. Durante anos, enquanto miúdo, perguntava ao meu pai que filme bestial “dos aliens e óculos escuros” é que tínhamos visto um dia na TV. Quando descobri e revi foi uma alegria. Só aquela cena prolongadíssima de pancadaria…!

    Acho que a “frase foleira” não tem mal nenhum, seja num guião meu ou alheio, e até aprecio de vez em quando, desde que o timing seja bom. Lembro-me de uma que adoro, do filme série-B, “The Fast and The Furious” (1950 e qualquer coisa), em que estão ambos no carro, e enquanto o protagonista conduz, a “moça” diz-lhe: “I hate you!”, ao que ele responde: “Hate me all the way to Mexico.” Que é para ela aprender quem manda.

    E qualquer frase do Arnie no “T2″ é lendária.
    “Hasta la vista… baby.”

Deixe o seu comentário