Oficina de Escrita para Teatro

O meu amigo Virgilio Almeida pediu para divulgar esta oficina de escrita para teatro, que está a coordenar, o que faço com todo o gosto, seguro de que será uma oportunidade única para quem esteja interessado no tema e deseje contactar com alguns dos melhores jovens talentos da dramaturgia, como o próprio Virgilio, ou os conhecidos Jacinto Lucas Pires e Ondjaki.

Oficina de Escrita para Teatro

associada ao espectáculo ABSURDOS CONTEMPORÂNEOS

DATAS
4 a 15 de Outubro de 2010

HORÁRIO
19:00-21:00 horas

HORAS
Total: 22 horas

LOCAL
Teatro da Trindade, Lisboa.

VAGAS
30 participantes.
(mínimo 10 )

OBJECTIVOS
Introduzir e/ou reforçar as competências dos formandos sobre as várias etapas do processo de escrita de peças de teatro de curta duração, desde o desenvolvimento da ideia e caracterização das personagens, à adequação da estrutura do texto dramático ao enredo, à manipulação do Tempo, Espaço e Causalidade e à adequação dos diálogos às personagens e à atmosfera da peça.

METODOLOGIA
Propõe-se a análise e a discussão das metodologias de escrita das 9 peças de 10 minutos usadas por 9 autores do espectáculo ABSURDOS CONTEMPORÂNEOS. Para tal, os participantes terão sessões de 2 horas com cada autor, e assistirão a duas sessões do espectáculos nos dois últimos dias da oficina (14 e 15 de Outubro), de modo a avaliarem o processo de criação deste singular espectáculo teatral, desde a escrita das peças à proposta final apresentada ao espectador. Após os espectáculos, a encenadora Teresa Sobral, o músico Eduardo Raon, o cenógrafo Stiga e os actores do elenco dos ABSURDOS CONTEMPORÂNEOS estarão disponíveis durante 1 hora para discutir as abordagens que fizeram às várias peças.
O autor Virgílio Almeida, associado da Qatrelcolectivo, funcionará como facilitador do processo de ensino/aprendizagem e de elo de ligação entre as várias sessões.

FORMADORES
Nove autores dos ABSURDOS CONTEMPORÂNEOS: Abel Neves, Ana Paula Gonçalves, Carlos Gomes, Carlota Gonçalves, Hélia Correia, Jacinto Lucas Pires, Miguel Castro Caldas, Ondjaki e Virgílio Almeida.

CONVIDADOS
A encenadora Teresa Sobral; os actores Carla Bolito, Carlos António, Dora Bernardo, Ivo Alexandre e João Saboga; o músico Eduardo Raon e o cenógrafo Stiga.

ADMISSÃO
Dramaturgos, estudantes universitários, profissionais das artes performativas e de áreas artísticas afins, e pessoas interessadas em desenvolver projectos na área da escrita teatral.

CERTIFICAÇÃO
Os participantes receberão um certificado de participação emitido pela Qatrelcolectivo, Associação Cultural.

INSCRIÇÃO
Os interessados, poderão fazer uma pré-inscrição telefónica através dos seguintes números telefónicos:
933471352 ou 918636908 (Qatrelcolectivo)
e deverão fazer o pagamento da oficina na bilheteira do Teatro da Trindade.

PREÇO
Geral: 90 €
Estudantes: 70 €
Sócios da Fundação INATEL: 54€

INFORMAÇÕES ADICIONAIS
TM: 933471352 ou 918636908 (Qatrelcolectivo) ou 927982834 (Teatro da Trindade)
producao.qatrel@gmail.com
http://sites.google.com/site/qatrel/Home
jpnogueira@inatel.pt

SOBRE OS FORMADORES

Abel Neves
Dramaturgo, poeta e romancista, com vasta obra publicada em Portugal e colaborações no estrangeiro. Para teatro escreveu: AMADIS; TOURO; TERRA; AMO-TE; ATLÂNTICO, FINISTERRAE; ARBOR MATER; LOBO-WOLF; EL GRINGO; INTER-RAIL; ALÉM AS ESTRELAS SÃO A NOSSA CASA; SUPERNOVA; FÉNIX E KOTA-KOTA; A CAMINHO DO OESTE; AMOR-PERFEITO; OLHANDO O CÉU ESTOU EM TODOS OS SÉCULOS; ESTE OESTE ÉDEN; PROVAVELMENTE UMA PESSOA; NUNCA ESTIVE EM BAGDAD; MADRESSILVA; QARIBÓ; UBELHAS-MUTANTES E TRANSUMANTES; VULCÃO; QUERIDO CHE; O PARAÍSO À ESPERA. É também autor de ALGURES entre a resposta e a interrogação, reflexões em volta do teatro.

Carlos Gomes | Ana Paula Gonçalves | Carlota Gonçalves
An.Carl-Go – grupo de trabalho constituído por Carlos Gomes, Ana Paula Gonçalves e Carlota Gonçalves, vocacionado para a escrita de textos dramáticos/teatrais e argumentos para cinema e televisão. No âmbito de desenvolvimento de novas dramaturgias, destacam-se: ESCADAS TORTAS SEM CORRIMÃO, 2001 (apoiado no concurso a projectos de actividade teatral de carácter profissional, IPAE, 2000); CLUBE DE GELO, 2002 (apoiado no concurso a projectos de actividade teatral de carácter profissional, IPAE, 2001); PESQUISA AMOK, 2003 (acolhido pelo Centro de Artes de Lisboa); CATARATAS, 2005-09 e CLANDESTINOS, 2007-09.

Hélia Correia
Licenciada em Filologia Românica. Professora de Português do Ensino Secundário. É como ficcionista que é reconhecida como uma das revelações da literatura portuguesa da geração de 80. A novela MONTEDEMO, encenada pelo Bando, dá-lhe notoriedade. Destaque ainda para os romances CASA ETERNA E SOMA e, na poesia, O SEPARAR DAS ÁGUAS, O NÚMERO DOS VIVOS e A PEQUENA MORTE/ESSE ETERNO CONTO. Para teatro escreveu PERDIÇÃO, levada à cena pela Comuna (1993) e FLORBELA (1991) encenada pelo Maizum. Recebeu em 2002 o prémio PEN 2001, atribuído a obras de ficção, pela sua obra LILLIAS FRASER.

Jacinto Lucas Pires
Estudou Direito na Universidade Católica de Lisboa e Cinema na New York Film Academy. Trabalha como dramaturgo e cineasta. Em Portugal, as suas peças foram encenadas por Manuel Wiborg, Ricardo Pais, Marcos Barbosa e João Brites.Está traduzido em francês, espanhol, inglês, norueguês, alemão, italiano e búlgaro. SILENCIADOR, a sua última peça, virá à Culturgest, em Junho 2010, encenada por Marcos Barbosa. Escreveu e realizou duas curtas-metragens: CINEMAAMOR (1999) – Prémio Cine-clube no Festival de Cinema Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira – e B.D. (2004). Escreve regularmente em jornais e revistas; tem uma crónica sobre futebol no JORNAL DE NOTÍCIAS e um blogue: www.chanatas.blogspot.com.

Miguel Castro Caldas
Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas. Escreveu QUERES CRESCER E DEPOIS NÃO CABES NA BANHEIRA, AS SETE ILHAS DE LISBOA, A MONTANHA TAMBÉM QUEM, O HOMEM DO PÉ DIREITO, O HOMEM DA PICARETA, NUNCA TERRA, JAVAS, É BOM BOIAR NA BANHEIRA, LEVANTAR A MESA, COMIDA, E AGORA BAIXOU O SOL, CASAS, REPARTIÇÃO, A MORTE TEM DE VIR, ESTAMOS AQUI PORQUE NÃO PODEMOS VOLTAR e NÓS NUMA CORDA. Traduziu Ali Smith, Harold Pinter, Reinaldo Arenas, Samuel Beckett e Senel Paz.Trabalhou com Bruno Bravo, Cristina Carvalhal, Franzisca Aarflot, Francisco Frazão, Gonçalo Amorim, Gonçalo Waddington, Jesper Halle, Jorge Silva Melo e Teresa Sobral. Está editado na editora Âmbar, Primeiros Sintomas e na colecção Livrinhos de Teatro dos Artistas Unidos/Cotovia. Recebeu uma Menção Honrosa pela Associação Portuguesa dos Críticos de Teatro pelo trabalho desenvolvido em 2005.

Ondjaki
Nasceu em Luanda, em 1977. Prosador e poeta. Também escreve para teatro e cinema e co-realizou o documentário OXALÁ CRESÇAM PITANGAS – HISTÓRIAS DE LUANDA. Os seus livros estão traduzidos em 8 línguas. ACTU SANGUÍNEU (poesia); BOM DIA CAMARADAS (romance); MOMENTOS DE AQUI (contos); O ASSOBIADOR (novela); HÁ PRENDISAJENS COM O XÃO (poesia); QUANTAS MADRUGADAS TEM A NOITE (romance); YNARI: A MENINA DAS CINCO TRANÇAS (infantil); E SE AMANHÃ O MEDO (contos); OS DA MINHA RUA (estórias); AVÓDEZANOVE E O SEGREDO DO SOVIÉTICO (romance); O LEÃO E O COELHO SALTITÃO (infantil); MATERIAIS PARA A CONFECÇÃO DE UM ESPANADOR DE TRISTEZAS (poesia); OS VIVOS, O MORTO E O PEIXE-FRITO (teatro); O VOO DO GOLFINHO (infantil).

Virgílio Almeida
Para teatro escreveu B.B. BESTAS BESTIAIS, enc. José Neves; MENINO COSMOS, enc. Teresa Sobral; FUI ÀS COMPRAS, enc. Carlos Gomes e Carlota Gonçalves; NOS CABELOS DA LOUCURA, enc. Luís Castro; ELEFANTES NO JARDIM, enc. Teresa Sobral; FRANCISCO, enc. Paulo Ferreira. É autor dos argumentos de 11 filmes de animação, 3 séries e 2 especiais TV. Estes filmes foram seleccionados para 60 festivais onde receberam 42 prémios, 5 menções honrosas e 2 nomeações para o Cartoon d’Or (Melhor Curta-metragem de Animação Europeia) com A SUSPEITA, real. José Miguel Ribeiro e CÂNDIDO, real. Zepe. Tem 4 livros publicados e recebeu 3 prémios literários.

Estes artigos talvez lhe interessem

A sua opinião é importante. Deixe-a aqui:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: