Um site para divulgar guiões portugueses

Actualização: a maior parte dos comentários que teci abaixo em relação ao site Zurrapa.net deixaram de fazer sentido, devido às alterações que os autores introduziram entretanto. O site dedica-se agora a argumentos e derivados, o que me parece um posicionamento mais adequado. Só o infeliz nome se mantém, mas essa foi uma opção inicial que agora é impossível de alterar. E já se viram nomes mais estranhos. Uma vez mais desejo boa sorte aos autores.

Recebi ontem a comunicação da criação de um site dedicado à divulgação de guiões originais de autores portugueses.

Chama-se Zurrapa – o caixote de lixo dos argumentistas e, segundo os seus criadores, "é um site dedicado aos fracos e deprimidos da inexistente indústria cinematográfica portuguesa que pretende reunir guionistas e produtores. Propomos uma ferramenta gratuita que permite a exposição de guiões numa montra apenas acessível a produtores. Acreditamos que as boas ideias não têm que estar obrigatoriamente na mente dos criativos que já estão entrosados no meio cinematográfico. As mesmas poderão estar encerradas na cabeça de pessoas das mais diversas áreas e que não terão, eventualmente, uma forma mais simples de as apresentarem. Está desde já convidado a usar este espaço e a fazer-nos todas as sugestões que ache pertinentes".

O objectivo do site é permitir a qualquer pessoa colocar online os seus guiões e, ao mesmo tempo, possibilitar que os produtores registados no site possam ler esses mesmos guiões. O público em geral só poderá aceder às suas sinopses.

Não conheço nenhuma das pessoas envolvidas neste projecto e, por isso, não posso avaliar (e avalizar) a sua seriedade. Fazem, no entanto, várias recomendações para que os autores registem os seus guiões no IGAC antes de os disponibilizar no site o que, à partida, parece ser prova de boas intenções.

Não acho que o nome escolhido – Zurrapa – , a imagem do site – uma rolha de garrafa – e a linguagem irónica que usam nos textos de apresentação –o caixote de lixo dos argumentistas, servir de armazém a uma generosa quantidade de guiões de qualidade praticamente tóxica, apesar de termos poucos anos a virar este tipo de frangos – beneficie os criadores do site ou os ajude a alcançar os seus objectivos. Pessoalmente, numa área em que a credibilidade é tão importante, teria procurado um nome mais adequado e uma terminologia mais profissional.

Um guião demora centenas de horas a planear, conceber e escrever e, no final, o guionista sente-o como um filho de um parto particularmente demorado e doloroso. Não sei se muitos autores se sentirão confortáveis a entregar a sua querida prole a um site que os descreve desta maneira.

Também não me parece que, no outro lado da equação, os produtores se vão sentir muito motivados para ler guiões que lhes são apresentados como de potencial qualidade tóxica.

Os criadores do site parecem ter noção desta questão da credibilidade, pois criaram mecanismos aparentemente sérios para filtrar o registos dos produtores, e dão-se ao trabalho de ensinar a fazer registos de guiões no IGAC – presencialmente e online. Mas depois, do meu modesto ponto de vista, borram a pintura com as suas outras opções.

De qualquer forma, desejo-lhes a melhor sorte. O importante é terem tomado a iniciativa; estão sempre a tempo de corrigir os possíveis desacertos, se e quando perceberem que os estão a prejudicar.

Estes artigos talvez lhe interessem

6 comentários

  • Compreendemos todas as considerações e expõe algumas ideias com que merecem reflexão e sobre as quais já nos interrogámos.
    Está presente um tom mais ou menos irónico mas também realista no nome utilizado e em alguns dos textos escritos. Sabemos pela curta experiência que temos que, efectivamente, a maior parte do que se produz são trabalhos intragáveis. Creio que a questão mais problemática é o facto de ser difícil para a maioria dos autores sentirem-se seguros o suficiente para confiarem os seus trabalhos a um site desconhecido. As produtoras certamente não teriam nada a perder e, se uma boa sinopse as “chamar”, estou certo que perderão tempo a ler um guião.

    • João Nunes 20/05/2010   Deixe uma resposta a →

      Eu também concordo que a maioria serão zurrapa. Só não me parece que isso seja uma mais valia a apregoar.
      De qualquer forma, como já disse antes, desejo-vos boa sorte. E espero estar enganado na avaliação que faço da exigência dos produtores.

  • Diogo 20/05/2010   Deixe uma resposta a →

    Parece-me um projecto interessante e com potencial.

  • Visitei o site e devo dizer que concordo com o João Nunes.
    Apesar de algumas ironias serem divertidas, faz falta uma linguagem mais profissional e uma mudança de nome do site.
    Enquanto potencial guionista, não tenho interesse absolutamente nenhum em publicitar o meu trabalho como zurrapa no “caixote de lixo dos argumentistas”.
    Também não me parece que os produtores queiram passar horas a vasculhar “zurrapa” em busca de um bom guião que não sabem se vão encontrar. Provavelmente, a maioria já recebe muitos guiões e já terá um caixote próprio para os colocar.
    Não quero de maneira nenhuma desmoralizar a vossa ideia, até porque acho que fazem falta projectos deste tipo. É apenas a minha opinião.

  • Tentei aceder ao site, parece que está em baixo…

Deixe a sua opinião ou comentário:

%d bloggers like this: