≡ Menu
Leia o guião de "Conexão"
conexão guião

Gra­ças à pas­sa­gem de Cone­xão na RTP, no último fim de semana, este blo­gue atin­giu o seu máximo de page views de sem­pre: 1261 1403 num único dia. É um recorde que me deixa muito satisfeito.

Tanto inte­resse por este tra­ba­lho, de que me orgu­lho par­ti­cu­lar­mente, merece algum tipo de recom­pensa. Por isso decidi publi­car aqui a ver­são final do guião em por­tu­guês, para efei­tos educacionais.

Duas ou três notas:

  • Os cabe­ça­lhos tra­ça­dos cor­res­pon­dem a cenas que foram escri­tas e aban­do­na­das por diver­sas razões; dra­má­ti­cas, algu­mas, mas geral­mente por neces­si­da­des de pro­du­ção. Isso faz parte da rea­li­dade da escrita audi­o­vi­sual, mesmo em pro­je­tos de tão grande enver­ga­dura como este.
  • Há toda uma sub­trama que foi eli­mi­nada quando che­gá­mos à con­clu­são que os tele­fil­mes esta­vam gran­des demais. Acom­pa­nhava um jor­na­lista que se tenta infil­trar no meio dos tra­fi­can­tes e acaba mal (como quase toda a gente neste filme, aliás). Quando – ainda em guião – che­gá­mos à con­clu­são de que pre­ci­sá­va­mos cor­tar cerca de vinte minu­tos ao total, a minha suges­tão foi eli­mi­nar total­mente essa trama em vez de andar a cor­tar cenas ou momen­tos avul­sos nas outras. Perderam-​​se algu­mas boas cenas, mas acre­dito que foi a melhor decisão.
  • A com­pa­ra­ção entre as cenas escri­tas e as cenas finais do tele­filme mos­tram que, na maior parte das vezes, a ver­são que chega à tela é mais curta, mais eco­nó­mica, menos pala­vrosa. Uma parte desse ema­gre­ci­mento é feito logo na roda­gem, por­que os ato­res con­se­guem dizer muita coisa com expres­sões e ações, sem neces­si­dade das pala­vras. O resto é con­se­guido na mesa de edi­ção, eli­mi­nando o supér­fluo, entrando mais tarde nas cenas, saindo mais cedo. Para os can­di­da­tos a gui­o­nis­tas esta eco­no­mia deverá cons­ti­tuir a maior lição da lei­tura deste guião.

Pode bai­xar aqui o seu guião de Cone­xão (1150), em .pdf.

Acerca do autor: João Nunes é um autor, guionista e publicitário que divide o seu tempo entre Angola, Brasil e Portugal. Conta com mais de 3000 páginas de guiões produzidas sob a forma de longas metragens, telefilmes, e dezenas de episódios de séries de televisão.

6 comentários… add one

  • Fernando Guerreiro 21/03/2011, 14:49

    Olá João,

    Obrigado pela generosidade.

    Abraço

  • Manuel Paulino 21/03/2011, 20:10

    Como já tinha comentado, noutro local do blog, gostei muito do primeiro telefilme, pelas razões que expus, designadamente, porque consegue manter uma tensão dramática crescente, que muito nos prende. O segundo telefilme, talvez pelo corte de cenas que o João refere, não me pareceu tão homogéneo. Consegue também prender o interesse do espectador mas somos quase surpreendidos com o final. De qualquer modo, é um grande trabalho, excelentemente escrito (ótimos diálogos), realizado e interpretado. Pena que o Ivo Canelas revele alguns problemas de dicção. Houve momentos em que as falas dos galegos eram mais claras do que as do português, Miguel Ângelo.
    Com o material que o João refere ter sido excluído, foi pena a produção não ter optado por três telefilmes em vez de dois.

  • Manuel Paulino 21/03/2011, 20:13

    Quero ainda agradecer ao João a generosidade em disponibilizar o guião. Será um excelente material de estudo.
    Um abraço,
    Manuel Paulino

  • Henrique Moreira 21/03/2011, 22:40

    Obrigado João por partilhares..

    Continuação de um bom trabalho.

    Abraço

  • sofia Vassalo silva 22/03/2011, 1:54

    Ó João isso é que é gostar da profissão ao ajudar tanto para que outros possam aprender,com tanta ferramenta que o João nos dá!
    MUITO OBRIGADA
    Abraço
    Sofia
    Só não falo Conexão porque gravei mas ainda não vi :(

  • Victor Jr 23/03/2011, 13:05

    Valeu, caro João.

    Vamos ler com bastante atenção. Parabéns por partilhar seu conhecimento.

    Você merece o sucesso que tem.

Partilhe aqui as suas ideias e experiência