≡ Menu

Perguntas & Respostas: vale a pena tirar um curso de cinema?

universidade imagem

Tenho seguido o blo­gue e lendo a sua auto­bi­o­gra­fia reparo que não tirou nenhum curso de cinema. É mesmo neces­sá­rio o canudo ou o talento e a von­tade são o sufi­ci­ente? E os res­tan­tes envol­vi­dos – as pro­du­to­ras, por exem­plo – acei­tam uma pes­soa que tem talento mas não tem curso nenhum? — Patrícia

Patrí­cia, um artigo do Go Into The Story refere um ran­king com as melho­res esco­las de cinema do mundo. Mais inte­res­sante ainda, o artigo dis­cute tam­bém a ques­tão que me coloca: vale a pena inves­tir tempo e dinheiro num curso de cinema? Sugiro que leia os comen­tá­rios a esse artigo para ouvir algu­mas opi­niões dife­ren­tes. Entre­tanto, deixo-​​lhe aqui a minha.

É ver­dade que não tirei nenhum curso — mas tenho muita pena disso. Se não ter o canudo me pre­ju­di­cou, não sei dizer. Mas acho que tive alguma sorte pelo meio, tanto na pri­meira metade da minha vida pro­fis­si­o­nal, de publi­ci­tá­rio, como na ver­são 2.0, de guionista.

Uma coisa, no entanto, é certa: nenhum pro­du­tor vai com­prar ou dei­xar de com­prar o seu guião por você ter um curso. Ele vai pagar ape­nas pelo que encon­trar impresso nas suas pági­nas — o seu talento, a sua cri­a­ti­vi­dade, o seu estilo, a sua voz pró­pria. Ou gosta do que você escre­veu, ou não gosta. Ou o guião serve para o que ele pre­tende, ou não serve. Essas são as úni­cas con­si­de­ra­ções que ele vai fazer antes de assi­nar o cheque.

O mesmo se aplica para con­se­guir tra­ba­lho numa equipa de escrita. Ou você dá pro­vas de capa­ci­dade de inte­grar a equipa, e cor­res­ponde ao que é pre­ten­dido, ou não. No segundo caso, não é o canudo que lhe vai valer.

Para que serve então pas­sar três anos numa uni­ver­si­dade a estu­dar cinema, e mais espe­ci­fi­ca­mente argu­mento? Essen­ci­al­mente para duas coisas.

Em pri­meiro lugar, é um ata­lho para che­gar mais rapi­da­mente a um deter­mi­nado volume de conhe­ci­men­tos e infor­ma­ção essen­ci­ais para a sua for­ma­ção. Sem o curso terá de andar a catar essa infor­ma­ção por sua ini­ci­a­tiva, como eu fiz.

Se o curso for bom, os pro­fes­so­res irão tam­bém obrigá-​​la a pôr na prá­tica os conhe­ci­men­tos adqui­ri­dos, escre­vendo guiões. Em algu­mas uni­ver­si­da­des ame­ri­ca­nas os alu­nos escre­vem qua­tro guiões com­ple­tos por ano lec­tivo. Além disso, os pro­fes­so­res irão dar-​​lhe feed­back sobre os tra­ba­lhos, ace­le­rando o seu pro­cesso de desen­vol­vi­mento e ama­du­re­ci­mento como escritora.

Em segundo lugar, mas não menos impor­tante, ao entrar num curso vai conhe­cer outros alu­nos que irão fazer um per­curso para­lelo ao seu. Esse grupo de pes­soas que está a come­çar a car­reira ao mesmo tempo vai criar natu­ral­mente um espí­rito de geração.

Você e os seus cole­gas vão entreajudar-​​se para entrar na pro­fis­são. Vão par­ti­ci­par nos tra­ba­lhos uns dos outros; vão tro­car dicas de emprego, apon­tar opor­tu­ni­da­des e apoiar-​​se nos momen­tos difí­ceis; vão par­ti­lhar con­ta­tos e apre­sen­tar as pes­soas que forem conhe­cendo. Só isso pode ser uma grande ajuda na sua car­reira e valer o tempo e dinheiro inves­ti­dos no curso.

Enquanto decide, por­que é que não lê o artigo com o ran­king das 25 melho­res esco­las de cinema do mundo? Até eu tenho von­tade de fre­quen­tar algu­mas delas.

Go Into The Story: THR: The 25 Best Film Scho­ols Rankings

O ran­king com­pleto do Hollywood Reporter

Acerca do autor: João Nunes é um autor, guionista e publicitário que divide o seu tempo entre Angola, Brasil e Portugal. Conta com mais de 3000 páginas de guiões produzidas sob a forma de longas metragens, telefilmes, e dezenas de episódios de séries de televisão.

3 comentários… add one

  • berni ferreira 13/08/2011, 19:42

    Acho que a pergunta se complicaria ainda mais, se se referisse exclusivamente ao contexto português… Tanto no que se refere à rentabilidade da profissão e ao estatuto que lhe é conferido, como ao próprio ensino em si mesmo.
    Sinceramente, creio que essa falta de oferta acaba por limitar ainda mais o contacto entre aspirantes a argumentistas e creio que é apenas o reflexo do valor que se dá à profissão no nosso contexto.

    Gostei muito do artigo.

    cumprimentos a todos

    berni

  • Gonçalo Lopes 13/08/2011, 20:26

    Acho que o curso compensa, apesar de estar no ensino superior mas não estou no ramo do Cinema actualmente, mas posso fazer uma pós-graduação ou mestrado em guionismo, estou bastante indeciso mas para isso ainda tenho mais um ano para escolher, no importante na escrita no meu ponto de vista é saber escrever e para quem escrever. E do que tenho retirado daqui não podemos desistir, mesmo quando nos falta inspiração temos que escrever sempre, chega a um ponto que já estamos dentro da história, já vimos as personagens, sabemos do que elas gostam e do que não gostam.
    Para mim desde que se faça aquilo que se gosta, o resto não importa, mas já vi muitas pessoas a querem escrever apenas para ficarem conhecidas, mas essas pessoas esquecem quem fica mais vezes conhecida são os realizadores e não os argumentistas. Todos escrevem, mas saber escrever são alguns conseguem.

  • Gonçalo Lopes 10/10/2012, 10:58

    Caro João Nunes,

    Vai existir um curso de argumento em Coimbra, no programa Caminhos do Cinema, em Coimbra, com o argumentista Tiago Santos, estou indeciso em fazer esse curso, ou esperar mais um ano, e tirar mestrado em guionismo, comecei a ler guiões, livros técnicos já vai pelo menos para 3/4 anos, tenho algum conhecimento, mas tenho dúvidas se devo ou não tirar mestrado. Porque o que conta é talento, esse não sou eu que posso avaliar. Entretanto surge a dúvida de tirar mestrado em gestão cultural, e ir fazendo cursos de argumento e assim ficar com uma formação mais completa.
    Gostava de lhe pedir a sua opinião.

Leave a Comment

Informe-me de novos comentários por email

LIVRO GRÁTIS Um Guião em 30 Dias