Perguntas & Respostas: vale a pena tirar um curso de cinema?

Tenho seguido o blogue e lendo a sua autobiografia reparo que não tirou nenhum curso de cinema. É mesmo necessário o canudo ou o talento e a vontade são o suficiente? E os restantes envolvidos – as produtoras, por exemplo – aceitam uma pessoa que tem talento mas não tem curso nenhum? — Patrícia

Patrícia, um artigo do Go Into The Story refere um ranking com as melhores escolas de cinema do mundo. Mais interessante ainda, o artigo discute também a questão que me coloca: vale a pena investir tempo e dinheiro num curso de cinema? Sugiro que leia os comentários a esse artigo para ouvir algumas opiniões diferentes. Entretanto, deixo-lhe aqui a minha.

É verdade que não tirei nenhum curso — mas tenho muita pena disso. Se não ter o canudo me prejudicou, não sei dizer. Mas acho que tive alguma sorte pelo meio, tanto na primeira metade da minha vida profissional, de publicitário, como na versão 2.0, de guionista.

Uma coisa, no entanto, é certa: nenhum produtor vai comprar ou deixar de comprar o seu guião por você ter um curso. Ele vai pagar apenas pelo que encontrar impresso nas suas páginas — o seu talento, a sua criatividade, o seu estilo, a sua voz própria. Ou gosta do que você escreveu, ou não gosta. Ou o guião serve para o que ele pretende, ou não serve. Essas são as únicas considerações que ele vai fazer antes de assinar o cheque.

O mesmo se aplica para conseguir trabalho numa equipa de escrita. Ou você dá provas de capacidade de integrar a equipa, e corresponde ao que é pretendido, ou não. No segundo caso, não é o canudo que lhe vai valer.

Para que serve então passar três anos numa universidade a estudar cinema, e mais especificamente argumento? Essencialmente para duas coisas.

Em primeiro lugar, é um atalho para chegar mais rapidamente a um determinado volume de conhecimentos e informação essenciais para a sua formação. Sem o curso terá de andar a catar essa informação por sua iniciativa, como eu fiz.

Se o curso for bom, os professores irão também obrigá-la a pôr na prática os conhecimentos adquiridos, escrevendo guiões. Em algumas universidades americanas os alunos escrevem quatro guiões completos por ano lectivo. Além disso, os professores irão dar-lhe feedback sobre os trabalhos, acelerando o seu processo de desenvolvimento e amadurecimento como escritora.

Em segundo lugar, mas não menos importante, ao entrar num curso vai conhecer outros alunos que irão fazer um percurso paralelo ao seu. Esse grupo de pessoas que está a começar a carreira ao mesmo tempo vai criar naturalmente um espírito de geração.

Você e os seus colegas vão entreajudar-se para entrar na profissão. Vão participar nos trabalhos uns dos outros; vão trocar dicas de emprego, apontar oportunidades e apoiar-se nos momentos difíceis; vão partilhar contatos e apresentar as pessoas que forem conhecendo. Só isso pode ser uma grande ajuda na sua carreira e valer o tempo e dinheiro investidos no curso.

Enquanto decide, porque é que não lê o artigo com o ranking das 25 melhores escolas de cinema do mundo? Até eu tenho vontade de frequentar algumas delas.

Go Into The Story: THR: The 25 Best Film Schools Rankings

O ranking completo do Hollywood Reporter

Estes artigos talvez lhe interessem

9 comentários

  • berni ferreira 13/08/2011   Deixe uma resposta a →

    Acho que a pergunta se complicaria ainda mais, se se referisse exclusivamente ao contexto português… Tanto no que se refere à rentabilidade da profissão e ao estatuto que lhe é conferido, como ao próprio ensino em si mesmo.
    Sinceramente, creio que essa falta de oferta acaba por limitar ainda mais o contacto entre aspirantes a argumentistas e creio que é apenas o reflexo do valor que se dá à profissão no nosso contexto.

    Gostei muito do artigo.

    cumprimentos a todos

    berni

  • Gonçalo Lopes 13/08/2011   Deixe uma resposta a →

    Acho que o curso compensa, apesar de estar no ensino superior mas não estou no ramo do Cinema actualmente, mas posso fazer uma pós-graduação ou mestrado em guionismo, estou bastante indeciso mas para isso ainda tenho mais um ano para escolher, no importante na escrita no meu ponto de vista é saber escrever e para quem escrever. E do que tenho retirado daqui não podemos desistir, mesmo quando nos falta inspiração temos que escrever sempre, chega a um ponto que já estamos dentro da história, já vimos as personagens, sabemos do que elas gostam e do que não gostam.
    Para mim desde que se faça aquilo que se gosta, o resto não importa, mas já vi muitas pessoas a querem escrever apenas para ficarem conhecidas, mas essas pessoas esquecem quem fica mais vezes conhecida são os realizadores e não os argumentistas. Todos escrevem, mas saber escrever são alguns conseguem.

  • Gonçalo Lopes 10/10/2012   Deixe uma resposta a →

    Caro João Nunes,

    Vai existir um curso de argumento em Coimbra, no programa Caminhos do Cinema, em Coimbra, com o argumentista Tiago Santos, estou indeciso em fazer esse curso, ou esperar mais um ano, e tirar mestrado em guionismo, comecei a ler guiões, livros técnicos já vai pelo menos para 3/4 anos, tenho algum conhecimento, mas tenho dúvidas se devo ou não tirar mestrado. Porque o que conta é talento, esse não sou eu que posso avaliar. Entretanto surge a dúvida de tirar mestrado em gestão cultural, e ir fazendo cursos de argumento e assim ficar com uma formação mais completa.
    Gostava de lhe pedir a sua opinião.

  • Débora 20/02/2015   Deixe uma resposta a →

    Olá, estou no 12º ano e sou uma inequivocamente uma apreciadora de cinema. Gostaria de seguir um curso que me ofertasse a possibilidade de aprender a fazer cinema. Gosto muito de escrever, já fiz algumas curtas metragens, mas estou com muitas dúvidas em relação à minha formação superior. Devo ter em conta as escassas oportunidades que o país oferta?

    • Olá Débora, é uma responsabilidade muito grande o que me está a pedir. A minha opinião num assunto tão pessoal e delicado não deve valer mais do que a sua e a de todas as pessoas próximas, que realmente se preocupam com o seu bem-estar. Dito isto, só posso acrescentar duas coisas: ninguém se queixa tanto da profissão que escolheu como as pessoas que trabalham no cinema em Portugal; e, também, provavelmente ninguém gosta tanto do que faz como essas mesmas pessoas.

  • Joana 01/03/2015   Deixe uma resposta a →

    Olá, estou no décimo segundo e estou muito confusa quanto ao meu futuro. que saídas o curso de cinema me dá?

  • lino 28/03/2015   Deixe uma resposta a →

    boa noite,meu filho tem 19 anos ,esta a tirar uma licenciatura em negócios internationais .mas o sonho dele e o cinema ,”realizador”acho que vou deixa lo viver este sonho,qual e a melhor escola em Portugal??? obrigado

    • Olá Lino, não posso responder-lhe qual a melhor escola de cinema em Portugal, pois não conheço todas e seria injusto. Só para falar de Lisboa há cursos superiores, como o da Escola Superior de Teatro e Cinema, da Universidade Lusófona e da Universidade Nova, e cursos profissionais, como o da Etic ou da Restart. Noutras cidades do país também há cursos de cinema, audiovisual e multimedia. Pessoalmente já dei aulas na Universidade Lusófona, e os alunos do seu curso de cinema e audiovisual pareceram-me satisfeitos. Mas, repito, não quero recomendar nenhuma escola em particular.
      Quanto à utilidade de um curso, já escrevi aqui no blogue sobre ela: http://joaonunes.com/2011/guionismo/perguntas-respostas-vale-a-pena-tirar-um-curso-de-cinema/
      Espero que ajude.

Deixe a sua opinião ou comentário: