Anunciados os nomeados para os prémios da Writers Guild

A Writers Guild of America, associação dos guionistas americanos, anunciou ontem os nomeados para os seus prémios de escrita de argumento. A maior parte dos filmes nomeados já foi ou está a ser exibido em Portugal, e os restantes estão previstos para breve.

Os nomeados para as duas categorias de guião de longa metragem, originais e adaptados, são os seguintes:

Argumento original

  • Black Swan, guião de Mark Heyman e Andres Heinz e John McLaughlin; estória de Andres Heinz; Fox Searchlight
  • The Fighterguião de Scott Silver e Paul Tamasy & Eric Johnson; estória de Keith Dorrington & Paul Tamasy & Eric Johnson; Paramount Pictures
  • Inception (A Origem), escrito por Christopher Nolan; Warner Bros.
  • The Kids Are All Right (Os Miúdos Estão Bem), escrito por Lisa Cholodenko & Stuart Blumberg; Focus Features
  • Please Give (Encontros em Nova Iorque), escrito por Nicole Holofcener; Sony Pictures Classics

Argumento adaptado

  • 127 Hoursguião de Danny Boyle & Simon Beaufoy; baseado no livro Between a Rock and a Hard Place de Aron Ralston; Fox Searchlight
  • I Love You Phillip Morris (Eu Amo-te Phillip Morris), escrito por John Requa & Glenn Ficarra; baseado no livro de Steven McVicker; Roadside Attractions
  • The Social Network (A Rede Social)guião de Aaron Sorkin; baseado no livro The Accidental Billionaires por Ben Mezrich; Sony Pictures
  • The Town (A Cidade), guião de Peter Craig e Ben Affleck & Aaron Stockard; baseado no romance Prince of Thieves de Chuck Hogan; Warner Bros
  • True Gritguião de Joel Coen & Ethan Coen; baseado no romance de Charles Portis; Paramount Pictures

Atendendo a que não vi (ou li os guiões) de alguns destes filmes, incluindo fortes candidatos como é o caso de Black Swan, fica difícil fazer apostas. Mas entre aqueles que vi destacaria Os Miúdos Estão Bem e A Rede Social. A Origem é também um fortíssimo candidato, mas penso que o seu perfil se adapta mais aos Oscares, onde é possível que venha a arrebatar uma boa mão cheia, incluindo o de guião original.

Dos filmes que me falta ver aguardo com curiosidade o referido Black Swan, mas também o 127 Hours, dos grandes vencedores dos Oscares do ano passado, e True Grit, um western dos eternos irmãos Cohen.

Como interpretar estes créditos

Algumas notas para entender esta lista. Segundo as normas de atribuição de créditos da WGA, o crédito mais valioso é o "Escrito por", que significa que os guionistas mencionados são os únicos autores da estória e do guião.

Quando a estória é de autores diferentes dos guionistas, usa-se o "guião de" e "estória de" para distinguir uns dos outros.

Finalmente, nos guiões que têm mais de um autor, quando se usa o "&" entre dois ou mais autores quer dizer que eles trabalharam em simultâneo na versão do guião; quando se usa o "e" significa que escreveram em sucessão. Assim, o crédito "guião de Peter Craig e Ben Affleck & Aaron Stockard" indica-nos que o guião foi escrita por Peter Craig, trabalhando sozinho, e por Ben Affleck e Aaron Stockard, em conjunto. A versão final terá resultado da combinação destas duas versões.

As normas da WGA proíbem (salvo erro) que um guião tenha mais de três autores creditados, independentemente do número de guionistas que possam ter trabalhado em várias versões do guião, ao longo do tempo[1].

Quando há disputa em relação a quem merece o crédito final é a WGA a entidade autorizada a atribuir os créditos. Para o efeito são nomeadas comissões entre os seus associados, por sorteio, a quem compete ler e comparar as várias versões do guião, para decidir quais os três autores mais representados na versão final.

Esta é uma das funções mais importantes da WGA, pois a atribuição do crédito tem impacto determinante na distribuição dos rendimentos do filme pelos guionistas.

Notas de Rodapé

  1. em certos casos, chegam a ser mais de 20[]

Estes artigos talvez lhe interessem

6 comentários

  • Nélia 06/01/2011   Deixe uma resposta a →

    “A atri­bui­ção do cré­dito tem impacto deter­mi­nante na dis­tri­bui­ção dos ren­di­men­tos do filme pelos guionistas” – exactamente como cá, não é? ;)
    Tenho pena que Toy Story 3 não tenha entrado na corrida. Como sempre, a economia e originalidade do guião foram uma das mais valias deste filme. Quanto a previsões, The Social Network está a fazer um brilharete um pouco por todo o lado, ganhando prémios praticamente todas as semanas. Ficarei satisfeita de ver Aaron Sorkin com mais um WGA (e especialmente com um Golden Globe, que já há muito é devido).

  • Cícero Soares 13/01/2011   Deixe uma resposta a →

    Pena que o guião de Winter’s Bone restou inelegível, João. Assisti ontem e fiquei bem impressionado. Se a princípio tive a impressão de que acompanhava uma narrativa simples e direta (e talvez uma estória simplória demais), no meio do caminho me descobri diante um arranjo de personagens improvável e um modo de narrar bastante engenhoso.

    • João Nunes 14/01/2011   Deixe uma resposta a →

      Já vi o trailer desse filme, que foi premiado nos Independent Spirit Awards, e parece realmente muito bom. Não consegui encontrar o guião na net mas estou curioso para ver se realmente foi cometida uma injustiça com ele.

  • Cícero Soares 14/01/2011   Deixe uma resposta a →

    Bom, a injustiça, na verdade, deveu-se ao corporativismo da WGA. Quer dizer, não a questão do mérito pôde entrar em questão, não é? rs. Aliás, como mencionou a Nélia, aconteceu o mesmo com o Toy Story 3. Infelizmente.

    Ah, João, desde o finalzinho do ano passado já consta um link no Simply Scripts (um draft sem especificação e data), o qual direciona para este outro sítio: http://www.roadsideattractionsawards.com/dl/screenplay-wintersbone.pdf

    Baixei ontem e… Agora toca eu rever filme com o guião à mão e… Vamos lá, vamos lá.

Deixe a sua opinião ou comentário: