Fountain: um novo formato para escrever um filme

Um aviso prévio. Este artigo só interessa a argumentistas que tenham um costela de nerd/geek razoavelmente desenvolvida. Se não é o caso, sugiro que explore outros artigos do meu blogue.

O argumentista americano John August anunciou recentemente no seu blogue o lançamento de um novo formato de documento para escrever um filme, a que chamou Fountain.

Passo a traduzir o texto introdutório do site dedicado ao Fountain:

"Fountain é uma sintaxe simples de marcação de texto para escrever, editar e partilhar guiões em formato de texto simples imediatamente legível. Fountain permite-lhe trabalhar no seu guião em qualquer lugar, em qualquer computador ou tablet, usando qualquer programa que edite ficheiros de texto simples.

Fountain é inspirada pelo Markdown de John Gruber[1] e é imediatamente legível. Quando é necessário usar uma sintaxe especial, esta é simples e intuitiva.

Mesmo quando é lido apenas como texto simples, o seu guião tem ar de guião.

A sintaxe Fountain suporta tudo o que um guionista necessita na fase inicial, criativa, da escrita do guião. Não inclui opções de produção como os MAIS e CONTINUADOS, marcas de revisão, bloqueio de páginas ou páginas coloridas.

Por ser apenas texto simples, Fountain é também ideal para arquivar guiões sem medo de obsolescência dos formatos ou incompatibilidade."

O que quer isto dizer

O formato Fountain permite-nos agarrar em qualquer programa que escreva em texto simples – o Notepad, no Windows, o TextEdit no Mac, o Vim, no Unix, o Terminal, um editor de html, um programa de email, o Google Docs, até o SimpleNote, no iPhone – e começar imediatamente a escrever um guião.

Esse guião poderá ser aberto, lido, editado e partilhado com qualquer outro programa que leia texto simples, em qualquer plataforma ou sistema operativo.

Melhor ainda, se daqui a dez ou vinte (ou cem) anos quisermos ler ou editar de novo este ficheiro, é certo que o conseguiremos. O mesmo não podemos dizer dos formatos exclusivos dos vários programas de escrita de guião que concorrem neste mercado.

Finalmente, se alguma vez for necessário usar as funcionalidades mais avançadas dos programas de escrita de guião, como o Final Draft ou o CeltX, os ficheiros de texto simples são por eles importados com grande fidelidade.

Como funciona o Fountain

Para escrever no formato Fountain usamos uma abordagem simples e intuitiva. Por exemplo, as linhas que se seguem, se gravadas num ficheiro de texto simples, seriam reconhecidas corretamente como pertencendo a um guião.

EXT. RUA – DIA

João caminha na rua, imerso nos seus pensamentos.

 

PEDRO (O.S.)

João, és tu?

 

João vira-se, surpreendido.

 

JOÃO

Pedro?!

(desconfiado)

O que fazes aqui?

 

Pedro sorri e encolhe os ombros.

CORTA PARA:

Percebe-se ao primeiro olhar que se trata de um guião, apesar dos elementos não estarem exatamente nos formatos padronizados para impressão.

Reconhecemos facilmente o CABEÇALHO, os NOMES dos personagens, as linhas de DIÁLOGO, as descrições de AÇÃO, e, no final, uma TRANSIÇÃO.

Escrever o básico em formato Fountain é tão simples quanto isto. Há depois uma série de outras indicações de sintaxe, muito simples e intuitivas, que são aplicadas em situações específicas, como diálogos paralelos, cabeçalhos secundários, etc.

No momento de imprimir o guião (para papel ou .pdf) cabe ao programa em que isso for feito aplicar os tipos e tamanhos de letra, margens e espaços entrelinhas adequados para cada um dos elementos, de forma a que o guião siga os padrões da indústria.

Resta ver se o formato Fountain vai ser adotado por guionistas profissionais, ou se será apenas uma curiosidade passageira.

Eu estou atualmente a terminar um guião, mas quando começar a escrever um filme novo vou experimentar o formato Fountain. Terei a segurança de saber que, como o Final Draft o importa perfeitamente, a qualquer momento posso mudar sem tempo perdido.

Notas de Rodapé

  1. Markdown, que é precisamente a sintaxe que estou a usar para escrever este artigo do blogue em texto simples[]

Estes artigos talvez lhe interessem