Nada é original. Rouba tudo o que mexer com a inspiração ou incendiar a tua imaginação. Devora filmes antigos, filmes novos, música, livros, pinturas, fotografias, poemas, sonhos, conversas ao acaso, arquitetura, pontes, sinais de rua, árvores, nuvens, corpos de água, luz e sombras. Mas sê seletivo e rouba apenas coisas que falem diretamente à tua alma. Se fizeres isto, a tua obra (e roubo) será autêntica. A autenticidade é o bem mais valioso; a originalidade não existe. – Jim Jarmusch

3 comentários

Deixe a sua opinião ou comentário: