≡ Menu
Perguntas & Respostas: como escrever uma cena que se passa no interior e exterior
drive-destaque

Gostaria de saber como descrever uma ação com um carro em movimento intercalando a visão de quem está dentro do veículo com cenas externas, ou com a visão de fora — Giovana

Giovana, o tipo de cena que descreve, em que a acção decorre simultaneamente em dois locais contíguos, interior e exterior, é normalmente descrita recorrendo a um tipo especial de cabeçalho em que são cobinadas as duas localizações.

Esse cabeçalho pode ser usado no caso que refere, de um veículo no seu ambiente – um carro na estrada, um barco no mar, um avião no céu –  ou em outras situações análogas – uma casa e o seu jardim; uma cela de prisão e o corredor da prisão; o interior da cabeça mecânica de um robot gigante Jaeger, e a cidade onde ele combate com um terrível Kaijim; etc.

As combinações possíveis são infinitas, mas a solução terá sempre alguns aspectos em comum. Vejamos quais são.

Esse cabeçalho particular deve ser composto pelos seguintes elementos:

  • A indicação especial EXT./INT. ou INT./EXT. – indicando que a cena se passa simultaneamente num local exterior e  interior;
  • A indicação especial LOCAL EXTERIOR/LOCAL INTERIOR – indicando a localização da cena exterior e a localização da interior contíguas. Por exemplo, RUA/CARRO, ou CASA/JARDIM, ou LANCHA/RIO TEJO, etc
  • A indicação normal DIA ou NOITE – como em qualquer outro cabeçalho.

Combinando os três elementos teremos um Cabeçalho de cena que será assim:

EXT./INT. AUTOESTRADA/PORSCHE 911 – NOITE

ou

INT./EXT. CASA DE PEDRO/JARDIM – NOITE

Por uma questão de coerência, se escreveremos EXT./INT. deveremos indicar primeiro o local exterior, e vice-versa.

A este cabeçalho segue-se a descrição das situações, acção e diálogos, saltando do local exterior para o interior, conforme as necessidades da narrativa.

Se for necessário acrescentar algum detalhe ou informação adicional, podem ser usados Cabeçalhos Secundários, como em qualquer outra descrição de cena.

Vejamos um exemplo:

EXT./INT. AUTOESTRADA/PORSCHE 911 – NOITE

O Porsche de Jorge entra na autoestrada já em grande velocidade. Ultrapassa um camião TIR e ziguezagueia entre vários carros que, comparados com ele, parecem estar quase parados.

Pedro, no lugar do passageiro, não consegue tirar os olhos da estrada. Está simultaneamente fascinado e aterrorizado.

Jorge, pelo contrário, é a imagem da descontracção e confiança. Nem mesmo quando...

...um SUV familiar muda inesperadamente de faixa e se atravessa à sua frente...

...a sua expressão se altera. Limita-se a reduzir a mudança e girar com segurança o volante, ultrapassando o SUV pela direita.

PEDRO

Essa foi quase.

JORGE

Ainda não viste nada.

Pisa o acelerador. O Porsche lança-se que nem um foguetão.

Como se pode ver, na forma de escrever esta cena a única coisa diferente é o cabeçalho. Tudo o resto escreve-se normalmente, sempre com a preocupação de que se entenda bem a acção que decorre.

Para facilitar o entendimento podemos mudar de parágrafo quando saltamos do interior para o exterior, ou vice-versa, mas isso não é estritamente necessário.

drive-imagem

Para terminar, vejamos outro exemplo, neste caso retirado do início de uma cena real do guião do filme “Drive“, cuja leitura recomendo para entender melhor a diversidade possível no uso deste tipo de cabeçalhos:

INT/EXT. IMPALA/ALLEYWAYS/INDUSTRIAL AREA/DOWNTOWN – NIGHT

The armed robbers watch in tense silence as Driver weaves in and out of the industrial alleyways with his lights switched off. It’s as if he’s trying to find his way out of the maze or probing to see if there’s anyone out there.

POLICE SCANNER

...1 Baker 11, headed south on Boyle Avenue...No sign of suspects...Repeat, no sign of suspects...

Note que neste cabeçalho o autor usa a forma INT/EXT. só com um ponto final, que é tão aceitável como a que sugiro – INT./EXT.

Acerca do autor: João Nunes é um autor, guionista e publicitário que divide o seu tempo entre Angola, Brasil e Portugal. Conta com mais de 3000 páginas de guiões produzidas sob a forma de longas metragens, telefilmes, e dezenas de episódios de séries de televisão.

3 comentários… add one
  • Anrtunes 25/07/2013, 22:43

    Esclarecedor. Este é daqueles pequenos problemas que emperram a escrita. Aqui muito bem resolvido. E depois o diretor que faça a decupagem que achar melhor.

  • Daniel 04/08/2013, 16:53

    Mas poderíamos também, além de colarmos Ext./Int., no cabeçalho, a cada mudança de um para o outro, indicarmos com um sub-cabeçalho?
    Por exemplo: ESTRADA e CARRO?
    Ou isto é completamente desnecessário e até reprovável?

    • João Nunes 06/08/2013, 8:39

      Errado não é, mas pode tornar a cena escrita muito difícil de ler. Se as descrições de acção forem bem escritas será fácil perceber o que se passa num e noutro lugar. A minha recomendação seria usar esses cabeçalhos secundários com muita moderação e apenas quando fundamental.

Partilhe aqui as suas ideias e experiência