≡ Menu
Perguntas & Respostas: podemos alterar cenas e páginas num shooting script
Shooting scripts-destaque

Quando estava a ler o guião Raiders of The Lost Ark deparei-me deparei com as seguintes indicações: 25 OMIT 25, 26 OMIT 26, 27 OMIT 27 e 28 OMIT 28. O que significa isto? – Cintia

Cintia, percebo perfeitamente a sua confusão. Quando lemos guiões de produção, os chamados “shooting scripts”, surgem muitas vezes indicações ou expressões que não são de interpretação imediata. Na melhor das hipóteses, limitam-se a confundir-nos; na pior, podem levar-nos a adoptar hábitos ou práticas inadequadas para a escrita dos guiões iniciais, a que chamamos guiões “especulativos”[1].

No exemplo que refere, o “OMIT” (ou, como é mais frequente escrever, OMITTED) significa que as cenas 25, 26, 27 e 28 foram omitidas do guião. Por alguma razão – dramática, financeira, de produção, de realização – foi decidido eliminá-las mesmo antes de serem produzidas.

Num guião especulativo esta decisão não causaria qualquer problema. Como neste tipo de guiões as cenas não devem ser numeradas, bastaria removê-las (ou copiá-las para outro documento, por segurança) e o assunto estaria resolvido.

No caso concreto do guião do Raiders of The Lost Ark a eliminação das cenas já deve ter sido feita numa fase avançada da pré-produção do filme, ou seja, num shooting script. Isso implica cuidados adicionais.

Chama-se a isso “trancar” o guião. O que essa expressão significa é que colocamos o guião num estado em que qualquer alteração que se faça não muda os números das cenas e das páginas já existentes.

Eliminar cenas

Num shooting script todas as cenas já receberam uma numeração e há muitas pessoas a trabalhar tomando essa numeração como referência. Qualquer mudança na numeração pode introduzir o caos na pré-produção. E, como qualquer director de produção lhe poderá explicar, o caos não é bom.

A solução para este problema é remover as cenas mas manter-lhes referências no guião.

Isto permite duas coisas: por um lado não muda a numeração das restantes cenas, um processo que em certos softwares é automático. Por outro lado indica também que a falta das cenas é intencional e não, por exemplo, um erro de fotocópia.

Acrescentar cenas

Quando é preciso acrescentar novas cenas no meio das já existentes estas são numeradas com letras, para não alterar a numeração das restantes. Assim, por exemplo, se quisermos incluir três cenas entre as já existentes 26 e 27 estas serão numeradas como 26A, 26B e 26C.

shooting script - cena com numeração trancada

Há assistentes de realização, ou supervisores de guião, que preferem colocar a letra antes dos números e tomar como referência o número da segunda cena. Neste caso, e voltando ao exemplo que dei, as novas cenas intercaladas entre a 26 e a 27 seriam numeradas A27, B27 e C27. Mas a solução anterior parece-me mais natural e é a adoptada por softwares como o Final Draft.

Alteração do número de páginas

A numeração das páginas de um shooting script, a partir de certa fase da pré-produção, também pode exigir cuidados especiais. No caso do guião do Raiders of the Lost Ark não houve essa preocupação, mas por vezes é necessário fazer alterações às cenas (acrescentando, eliminando ou modificando) sem alterar a numeração das páginas.

Se desaparecerem cenas, ou forem muito encurtadas, pode passar a haver saltos de páginas. Se retirarmos cenas nas páginas 16 e 17, por exemplo, a página 17 pode desaparecer e haver um salto da 16 para a 18.

Algumas páginas podem também ficar mais curtas porque as cenas que estavam nelas foram omitidas. Mas todas as cenas que não forem mexidas ficam nas mesmas páginas que estavam antes.

shooting script - página encurtada

Se forem acrescentadas ou aumentadas cenas, por outro lado, as páginas necessárias a mais recebem uma numeração especial, acrescentando-lhes letras – por exemplo, 101A, 101B, 101C, e por aí adiante.

shooting script - página com numeração trancada

Tudo isto pode parecer confuso, mas softwares como o Final Draft já resolvem estas questões automaticamente. Basta colocá-los em “modo de revisão” e os programas tratam do resto.

De qualquer forma, é um problema que diz respeito mais aos assistentes de realização e aos supervisores de guião do que a nós, guionistas. Por isso não se preocupe muito com essa questão. Se algum dia o problema se colocar quer dizer que o seu guião já está em pré-produção. Nesse caso tem é de festejar.

Notas de Rodapé

  1. Não gosto muito deste nome, mas é a tradução directa do termo usado internacionalmente – speculative script, ou spec – e ainda não encontrei um melhor[?]

Acerca do autor: João Nunes é um autor, guionista e publicitário que divide o seu tempo entre Angola, Brasil e Portugal. Conta com mais de 3000 páginas de guiões produzidas sob a forma de longas metragens, telefilmes, e dezenas de episódios de séries de televisão.

1 comentário… add one
  • Cintia 22/08/2013, 14:21

    Muito obrigada pelo esclarecimento
    abraços,

    Cíntia

Partilhe aqui as suas ideias e experiência