Estou escrevendo uma história onde, em determinada cena, os personagens andam de bicicleta e mantêm uma conversa. Minha dúvida é: como devo montar o cabeçalho? Apenas indico o ambiente onde eles estão ou devo esclarecer que eles estão em movimento? – José

Olá José, neste caso a sua pergunta tem uma resposta simples: em minha opinião deve indicar em Cabeçalho apenas o local onde se passa a cena, e deixar para os parágrafos de descrição da Acção as informações adicionais.

Seria algo como:

EXT. VEREDA NO CAMPO – FIM DO DIA

João e José pedalam lado a lado nas suas bicicletas alugadas.

JOÃO

(ofegante)

Enquanto for a descer é fácil. Mas já estou a ver a subida ali à frente...

José finge não o ouvir. Acelera deixando o amigo para trás.

É um formato diferente do que indiquei num artigo anterior para outros tipos de veículos, como automóveis, camiões, aviões, etc, em que parte da cena se passa no exterior e outra no interior.

Nesse caso normalmente usa-se um início de cabeçalho especial (EXT./INT.) e continua-se o cabeçalho especificando os dois locais, por exemplo, uma ESTRADA e um CARRO. O resultado será algo como isto:

EXT./INT. ESTRADA – CARRO – DIA

Uma estrada nacional qualquer, no meio do nada. O Fiat de João dobra uma curva e passa a acelerar.

José abre os olhos e espreita para o exterior.

JOSÉ

Onde é que estamos?

JOÃO

No meio do nada. Volta a dormir, quando chegarmos eu acordo-te.

JOSÉ

De certeza?

JOÃO

Sim. Dorme

José volta a fechar os olhos.

O carro afasta-se em alta velocidade.

Outra solução possível para esta cena do carro na estrada seria dividi-la em três Cabeçalhos: dois exteriores e um interior no meio.

Em cenas em que haja muita acção e diálogos essa pode ser a melhor solução, intercalando de umas cenas para outras. Mas numa cena tão curta como a deste exemplo, o EXT./INT. parece-me ser a melhor solução.

De qualquer forma, nenhum dos casos se aplica ao diálogo entre os ciclistas que originou este artigo. Uma bicicleta não tem interior nem exterior. No meu entender para escrever um diálogo entre dois ciclistas a cena deve ser tratada como se as duas pessoas fossem a caminhar pela estrada. Simples e fácil.

Desafio aos leitores

Tem mais dúvidas de escrita que queira ver esclarecidas? Deixe-as aqui nos comentários e eu tentarei responder.

Estes artigos talvez lhe interessem

4 comentários

  • José Wilson 14/04/2016   Deixe uma resposta a →

    Muito obrigado, João!

    Fiquei na dúvida justamente após ler seu artigo sobre EXT./INT., imaginei que poderia ter algum cabeçalho especial para esse tipo de situação.

    Outro caso que você esclareceu foi no sentido de indicar a movimentação dos personagens: uma descrição simples realmente resolve!

    Mas já que você citou: há algum problema em indicar essa movimentação de um carro no cabeçalho?

    Exemplo:

    INT. ÔNIBUS – EM MOVIMENTO – DIA

    ou

    INT. ÔNIBUS – NA ESTRADA – NOITE

    • Problema nenhum :-)
      Normalmente é de evitar colocar descrições da acção nos cabeçalhos, mas pequenos detalhes como esse ajudam rapidamente a passar informação útil para imaginarmos a estória.

      • José Wilson 15/04/2016  

        Muito obrigado mesmo, João!

        Estou terminando de escrever meu roteiro e seu site vem ajudando e muito! Lendo seus artigos eu estou conseguindo dá mais dinamismo às cenas! Sensacional!

      • João Nunes 17/04/2016  

        Boa sorte e boas escritas, José Wilson.

Deixe a sua opinião ou comentário: