Terminei de fazer um curso de cinema e audiovisual, totalmente teórico e agora gostaria de desenvolver meu primeiro argumento a partir de uma boa ideia. Como devo fazer? – Anónimo

Se ainda não tem a sua ideia, o primeiro passo é procurá-la.

Comece por uma curta-metragem. É mais fácil de escrever, financiar, produzir e dirigir.

As fontes de inspiração não faltam: um exercício que sempre proponho nas aulas de guionismo é agarrar num jornal ao acaso e lê-lo com a intenção de procurar ideias para estórias.

É fácil encontrar dez ideias numa sessão destas. Nem todas serão boas (se calhar, nenhuma o será) mas, se o fizer todos os dias, num ápice terá encontrado a sua.

Em seguida terá de decidir em que papel irá desenvolver a ideia: escrevendo-a, ou encomendando-a.

No primeiro caso, estará a agir como guionista; no segundo, como produtor.

Como guionista

Se quiser escrever você mesmo o guião, vou supor que já teve no seu curso de cinema algum contacto com as noções básicas de dramaturgia e escrita. Nesse caso terá apenas de passar à prática.

Aprendemos a escrever guiões estudando dramaturgia, vendo filmes (bons e maus) com olhar crítico e lendo guiões. Mas nada disso pode substituir a prática da escrita.

Sentar na cadeira e enfrentar a página em branco é inescapável. Se quiser um road map prático, sugiro-lhe a leitura do meu e-book Escrever um Argumento em 30 Dias

Como produtor

Se, pelo contrário, quiser encomendar a escrita do seu guião, passará a agir na condição de produtor. Nesse caso terá de encontrar um guionista adequado ao seu projeto; negociar um contrato de encomenda com ele; e orientá-lo durante a escrita do guião.

Isto pode ser tão simples quanto estabelecer uma parceria com um colega de curso que quer seguir a vertente da escrita; ou tão exigente quanto trabalhar com um guionista mais experiente numa relação profissional.

Em ambas as situações é muito importante que as condições do relacionamento sejam claras e bem definidas. Se trabalhar com um guionista profissional este exigirá um contrato detalhado e devidamente registado.

Com um colega/amigo as coisas poderão ser mais informais (só depende da vontade dos dois) mas não deverão ser esquecidos os aspectos futuros: direitos, divisão de proveitos, autoria, créditos, etc. Quanto mais cedo isso ficar definido, melhor.

Conclusão

Comece hoje mesmo a sua jornada de cineasta. Veja o pequeno passo que pode dar nesse sentido, e dê-o.

É fazer um contacto? Agarre no telefone e faça-o.

É procurar uma ideia? Pegue num bloco e caneta e dedique meia hora a isso.

Se já tem a ideia, escreva uma página. Se já tem dez páginas, escreva outras dez.

Os pequenos passos acumulam-se. Dê um por dia e, em breve, terá o seu primeiro argumento, pronto a filmar.

Deixe aqui as suas questões

Se tem quaisquer dúvidas sobre guionismo, sejam elas técnicas, artísticas, profissionais ou motivacionais, aproveite o Mês das Perguntas e deixe-as no formulário abaixo. Tentarei responder tão depressa e tão completamente quanto possível.

Por favor coloque o seu email.
O tema da pergunta

Nota: o seu endereço irá para a lista de emails da newsletter deste blogue. Nunca partilharei esse endereço com ninguém e só lhe escreverei quando tiver informação de interesse. Poderá cancelar a assinatura a qualquer momento.

Estes artigos talvez lhe interessem

Deixe a sua opinião ou comentário: