destaque Highland

Programa de escrita Highland 2 é lançado com promoção temporária

O programa de escrita de guião Highland 2 é a nova versão do aplicativo Highland de que já falei aqui no blogue, e traz muitas e relevantes novidades.

Durante os últimos meses fui beta tester desse programa, ou seja, experimentei algumas versões prévias com vista a ajudar a encontrar erros e problemas.

Obviamente testei-o apenas em pequenos projectos sem grande responsabilidade (há sempre um factor de risco nos testes de versões prévias de qualquer software), e fazendo Save abundantemente.

A experiência, apesar de curta, já me deixou perceber que o Highland 2 é um programa com grande potencial. Quem sabe poderá vir a ser um Final Draft para o século XXI.

O programa é exclusivo para Mac e neste momento pode ser instalado a partir da App Store numa versão gratuita, que tem algumas limitações. Se quisermos aceder a todas as funcionalidades poderemos fazer o upgrade a partir do próprio programa.

É de notar que o Highland 2 estará em promoção durante alguns dias, passando depois a um preço definitivo que deverá rondar os 60€.

O que se mantém

O Highland 2 mantém muitas das principais funcionalidades que o caracterizaram desde o início.

É um software bastante completo de escrita de guiões, que usa como base as linguagens Markdown e Fountain. Já escrevi um tutorial sobre esta última síntaxe aqui – parte 1 – e aqui – parte 2.

O Highland 2 grava os documentos em formato de texto simples. Apesar de não usar a extensão .txt, qualquer programa que reconheça esse tipo de ficheiros poderá abrir e editar os seus documentos, sem perda de informação. É com certeza a forma mais segura de garantir que os textos sobreviverão à passagem do tempo, pois sempre haverá programas capazes de os abrir.

Finalmente, o programa é perfeitamente compatível com os ficheiros nos formatos .fdx (Final Draft) e .pdf, tanto a importar como a exportar.

Em relação aos .pdf o Highland tem uma funcionalidade exclusiva fantástica: podemos importar guiões em formato .pdf (por exemplo, aqueles que são disponibilizados para os Óscares)escritos por qualquer outro programa e transformá-los num ficheiro totalmente editável.

Mantém-se também a separação entre o ecrã de escrita e o de pré-visualização. Usamos o primeiro para escrever e editar os guiões; o segundo para pré-visualizar como eles irão aparecer quando impressos ou exportados.

Finalmente, o Highland 2 continua a ser um programa rápido e agradável de usar, ao contrário de muitos outros programas.

As novidades

A principal novidade é que o Highland 2 usa agora a extensão .highland, que é uma espécie de pacote que, além do ficheiro de texto simples, editável por outros programas, inclui mais alguns ficheiros que permitem guardar outros tipos de informação.

Graças a essa informação adicional, o programa oferece novas opções que aumentam muito a sua funcionalidade. Vejamos as principais.

A coluna da esquerda

Agora, ao lado da janela de escrita, há uma coluna com cinco partes:

  • O Navegador, que dá acesso directo às cenas, secções, links, etc., que organizam o texto.
  • O Caixote (Bin), onde podemos guardar temporariamente blocos de texto para usar posteriormente.
  • Os Objectivos, uma secção onde podemos ver estatísticas de texto e estabelecer metas de escrita.
  • Os Recursos, onde ficam listados os itens importados para o documento, como imagens, etc.
  • O Bloco de Notas, onde podemos deixar notas sobre o documento.

Imagem do site https://quoteunquoteapps.com/highland-2/.

Só esta coluna da esquerda já justificaria o upgrade, mas há mais.

Os modelos

Além do modelo de base para a escrita de guiões, onde se usa a linguagem .fountain, agora é possível escolher modelos para Romances, Tratamentos, Artigos, Relatórios, etc., que usam a linguagem .markdown.

Graças a isso o Highland 2 deixa de estar limitado à escrita para cinema, podendo ser usado por muitos tipos de escritores, para muitos tipos de trabalhos.

Por exemplo, estou a escrever este artigo no Highland 2, bastando-me depois copiar o texto para o WordPress para publicação.

Os Temas

É agora possível escolher entre dez combinações diferentes de cores de fundo e de texto para usar enquanto estamos a escrever.

Cinco usam fundos claros, outras cinco fundos escuros. No programa original podíamos escolher apenas entre fundo claro e escuro.

Margens ao vivo

No Highland original o texto dos guiões aparecia sempre alinhado à esquerda, mesmo em elementos como os Personagens e Diálogos. Só no momento de exportar os ficheiros para .pdf ou .fdx é que o programa formatava os textos correctamente.

No Highland 2 podemos escolher a opção Live Margins, em que mesmo no ecrã de escrita o texto já vai assumindo automaticamente as posições correctas, dando uma imagem mais parecida com o guião final, mesmo na fase de escrita.

Outras opções

O Highland 2 inclui agora uma opção de selecção e análise dos personagens, com estatísticas sobre as suas aparições e quantidade de diálogos no guião. Essa análise até pode ser feita por género, para sabermos quantos diálogos são de homens e quantos de mulheres.

character-screen@2x

Imagem do site https://quoteunquoteapps.com/highland-2/

Podemos também inserir imagens nos documentos, bastando para isso arrastar-los do disco ou da web. Essas imagens são depois guardadas na coluna dos Recursos, e exportadas sem problemas.

Temos também a opção de fazer sprints, ou seja, sessões cronometradas de escrita, em que definimos quanto tempo seguido queremos escrever, e o Highland nos alerta no final desse período.

Destacaria ainda o aumento de formatos de exportação. Além dos dois já mencionados (.pdf e .fdx) agora é possível exportar os documentos para .fountain, .markdown, .txt, .rtf (para o Word ou Pages) e .textbundle.

Finalmente, agora é muito fácil numerar as cenas, ou eliminar essa numeração. Os números de cena não aparecem no ecrã de edição mas são visíveis logo na pré-visualização e exportação.

Comparação com o Scrivener e Final Draft

Os dois programas que eu uso com mais frequência para escrita de guiões são o Scrivener e o Final Draft. O Highland 2 não substitui nenhum deles em todas as suas funções.

Por exemplo, o Scrivener é muito mais completo em todas as funções que se relacionam com o planeamento das estórias. É muito provável que todo o trabalho de pesquisa e desenvolvimento dos meus próximos guiões, até à fase da escaleta, continue a ser feito no Scrivener.

Por outro lado, o Final Draft oferece várias opções específicas para a fase de pré-produção de um filme, como a omissão de cenas e o bloqueio de páginas, que o Highland não inclui. É pois natural que eu continue a terminar os guiões, especialmente depois de serem passados a um produtor, no Final Draft.

Mas entre estas duas etapas, a do planeamento e a da finalização, desenrola-se o grosso do processo de escrita do guião. E, para isso, o Highland 2 é uma opção não só viável como mesmo muito atractiva.

Consigo perfeitamente imaginar um workflow de escrita como o seguinte:

Planeamento no Scrivener, até à escaleta => escrita no Highland 2 => finalização e revisões no Final Draft.

Conclusão

O Highland 2 é um programa de escrita de guião sólido, completo, fácil e agradável de utilizar, que responde a 90% das necessidades por um preço quase quatro vezes inferior ao do Final Draft.

As novidades agora introduzidas tornam-no ainda mais completo e útil, além de mais versátil e atractivo para outros tipos de escritores.

Acredito que rapidamente se irá tornar num dos programas de escrita mais populares, pelo menos entre os utilizadores de Mac.

Saiba mais sobre o Highland 2 aqui.

Estes artigos talvez lhe interessem

A sua opinião é importante. Deixe-a aqui:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: