Net

Agora que temos casa nova, e só para nós, resolvi informar-me das condiíões das assinaturas de acesso í  net pela linha telefónica normal. Escolhi a Nexus, um operador privado. No site deles (que é um razoável portal com notí­cias de angola (em www.nexus.ao) obtive a comparaíão dos vários planos disponí­veis. Escolhi um, barato, 12 dólares […]

Continue a Ler

O Mauro é meu amigo

Não sei quem é o Mauro. Não faío ideia onde vive, que idade tem, o que é que pensa da vida. Desconfio que seja do sexo masculino, possivelmente jovem, provavelmente negro. Mas sei que o Mauro é meu amigo, por uma razão muito simples: é o seu nome que eu vejo, pintado na parede, no […]

Continue a Ler

Acácias de Ouro

A TVC, concessionária da publicidade na televisão de Angola, organiza todos os anos um festival para premiar os melhores anúncios criados em Angola. Este ano o festival chamou-se Acácias de Ouro e premiou, além da televisão/cinema, as categorias de imprensa, rádio e outdoor. A agência arrasou, ganhando 14 prémios, incluindo dois grandes prémios e o […]

Continue a Ler

Salões de beleza

O salão de beleza é um dos negócios mais populares por aqui. Provavelmente porque para ter um salão só é preciso um espaço, uma tesoura e uma escova (estou a exagerar) mas também porque os angolanos são muito preocupados com a sua aparência pessoal. Por outras palavras, são muito vaidosos. Os nomes são deliciosos: há […]

Continue a Ler

Dólar

O dólar é a verdadeira moeda não oficial de Angola. É aceite em praticamente todos os estabelecimentos e os preíos são apresentados em kuanzas e dólares. Há anúncios na televisão que só dão os preíos na moeda americana, e em cada esquina há cambistas a acenarem com maíos de kuanzas para quem quiser trocar. Uma […]

Continue a Ler

Bancas de bebidas

í€ noite, quando passamos nos bairros mais populares de Luanda, vemos bancas na rua a vender bebidas. Identificamo-las pelas latas e garrafas vazias com que estão decoradas, e são mais uma manifestaíão do mercado informal que domina toda a economia paralela da cidade. Mas o que mais me impressiona é que muitos destes vendedores tentam […]

Continue a Ler

Fruta Pinha

Acabei de descobrir qual é a minha fruta favorita: a fruta pinha. Não sabia da sua existência, nunca tinha ouvido falar dela,e obviamente ainda não a tinha comido. Por recomendaíão da T. e da C., resolvi comprar meia dúzia numa quitandeira, perto da casa do N. Que delí­cia! É um fruta que dá luta, porque […]

Continue a Ler

Academia

Ontem comeíámos a fazer aeróbica, na modalidade body combat, numa classe no quartel dos Bombeiros. Aeróbica com sauna integrada, porque a sala estava tão quente que eu suava como nunca me lembro de ter suado. Cada vez que dava um “gancho”, naqueles exercí­cios que simulam combate contra um inimigo invisí­vel, saí­am-me da mão jactos de […]

Continue a Ler

Cabo Ledo

Voltámos a Cabo Ledo, desta vez para passar o fim de semana. Ficámos numa pousada bem agradável, mesmo em cima da praia. O sábado tinha começado chuvoso, mas quando chegámos ao nosso destino o tempo já estava bom. Ficámos na praia até anoitecer, tomando banho e brincando com a Sharon. O pôr-do-sol foi lindíssimo, tingindo […]

Continue a Ler

Gelo

Aqui em Angola há uma lotaria que se chama “gelo”. Cada vez que vamos a um restaurante ou um bar e nos é servida uma bebida com gelo, estamos a comprar uma taluda para uma crise intestinal. É claro que perguntamos sempre se o gelo “é de confianía”; a resposta, invariavelmente, é “sim, claro”. Mas […]

Continue a Ler

Jembas

No último fim de semana fomos passar a noite ao Mussulo, a um resort chamado Jembas. O V. e o E. também foram, aproveitando os derradeiros dois dias da sua estadia aqui em Angola. O resort em si não é nada de especial – os bungallows, perto da praia mas isolados por uma vedaíão, são […]

Continue a Ler

Cerimónias

Dia 23 foi a inauguraíão oficial da nova sede da agência. Uma festa a sério, com mais de 100 convidados, muitos vip, e cobertura da imprensa e televisão. O momento alto da cerimónia foi o descerrar da placa com o novo logotipo, pelo vice-ministro da Comunicaíão Social, a que se seguiram discursos pelo próprio e […]

Continue a Ler

Rua 11

Perto da Rua 11, para os lados do Benfica, há um restaurante ribeirinho muito agradável. É o Restaurante da Rua 11, nome pouco imaginativo mas fácil – e digno – de memorizar. Fomos lá almoçar no Domingo, com o E. e a namorada, a C.. A especialidade é um buffet de pratos angolanos, incluindo a […]

Continue a Ler

Cinema

Domingo fomos ao cinema pela segunda vez. Mais precisamente ao Cine-Atlântico, magní­fico exemplar da arquitectura colonial do pós-guerra. É um grande anfiteatro coberto mas sem paredes laterais, o que o torna bastante arejado e agradável nas noites quentes de Luanda. Fomos ver um filme de acíão, “Anacondas”. O filme, em si, não merece comentários – […]

Continue a Ler

Sport Clube da Catumbela

Estou a considerar seriamente deixar de torcer pelo Benfica e passar a apoiar o Sport Clube da Catumbela, do qual o meu avô João chegou a ser presidente (segundo o meu pai diz, no único ano em que o clube ganhou o campeonato de Angola). Isso é que é um clube, e não esta coisinha […]

Continue a Ler

Dia dos Namorados

Os angolanos, pelo menos aqui em Luanda, são devotos do S. Valentim. Na televisão podí­amos ver inúmeros spots publicitários de restaurantes, anunciando programas especiais para a noite dos namorados, e em muitas ruas viam-se bancas a vender presentes. No regresso a casa, muitos homens levavam ramos de flores ou embrulhos cuidadosamente arranjados. Aposto que em […]

Continue a Ler

Raios e Coriscos

Segunda feira í  noite houve uma tempestade enorme sobre Luanda. Não choveu muito, mas os relâmpagos sucediam-se com tanta frequência que o céu chegava a ficar completamente branco. Era impossí­vel associar um relâmpago a um trovão especí­fico, tão rápida era a sua sequência. Eu e a Lu tí­nhamos combinado ir jantar fora – era Dia […]

Continue a Ler

Lagostas

Ao almoço de ontem comemos quatro lagostas compradas aos pescadores em Cabo Ledo. Foi a primeira coisa que achei realmente barata aqui. Custaram 700 kuanzas, ou seja, cerca de sete euros. Por esse preço, em Portugal, pagava pouco mais do que um pires de gambas. Vieram vivinhas, dentro de um saco de plástico, ainda a […]

Continue a Ler

Benfica

Há aqui em Luanda um bairro chamado Benfica. Mas não é desse bairro em expansão que eu quero falar. É do “glorioso”, o meu SLB, que tenho conseguido acompanhar mesmo de tão longe. Os jogos passam na televisão, nos canais públicos de Angola, ou em canais de satélite, e a comunidade de benfiquistas local é […]

Continue a Ler

Lixo

Luanda tem um grave problema de lixo. Em grande parte das ruas cruzamo-nos com montanhas de detritos variados, restos orgânicos, latas e caixotes, garrafas, plásticos, porcaria indiscriminada. Os contentores que se encontram aqui e ali vão ficando cercados e cobertos de porcaria, e os serviíos municipais parecem não ter capacidade para eliminar o lixo antes […]

Continue a Ler