≡ Menu
João Nunes

O meu nome é João Nunes (como já deve ter per­ce­bido) e sou um autor, guionista/​roteirista, publi­ci­tá­rio e realizador/​diretor por­tu­guês a resi­dir em Manaus, Brasil.

Conto com mais de 3000 minu­tos de fic­ção audi­o­vi­sual pro­du­zida, incluindo 5 lon­gas metra­gens, 5 tele­fil­mes, 10 cur­tas metra­gens, e deze­nas de epi­só­dios de séries de televisão.

Recen­te­mente rea­li­zei a minha pri­meira curta-​​metragem, “O Presente”.

Sou autor asso­ci­ado das Pro­du­ções Fic­tí­cias e exerço atu­al­mente as fun­ções de pre­si­dente da APAD – Asso­ci­a­ção Por­tu­guesa de Argu­men­tis­tas e Dramaturgos.

Man­te­nho este blo­gue sobre escrita e outros temas que me inte­res­sam desde 2005.

Trabalhos produzidos

Cinema

  • O Côn­sul de Bor­déus” – Longa metra­gem, Take 2000
  • Assalto ao Santa Maria” – Longa metra­gem, Take 2000
  • Jul­ga­mento” – Longa metra­gem, Sto­pline Films
  • Tiro no Escuro” – Longa metra­gem, MGN
  • A Selva” – Longa metra­gem, Costa do Castelo

Tele­vi­são

  • O Dez” – Série de cur­tas metra­gens, RTP
  • Cone­xão” – 2 Tele­fil­mes, RTP
  • Liber­dade 21″ – Série, vários epi­só­dios, RTP
  • 29 Gol­pes” – Tele­filme, RTP
  • Ins­pec­tor Max” – Série, vários epi­só­dios, TVI
  • Espí­rito da Lei” – Série, vários epi­só­dios, SIC
  • Amor Per­dido” – Tele­filme, SIC
  • Mus­tang” – Tele­filme, SIC

Rea­li­za­ção

  • O Dez” – Curta metra­gem, seg­mento “O Pre­sente”, RTP

Tea­tro

  • Ani­mais de Palco”
  • Era uma vez… jazz”
  • Quem matou o Jazz?”

Bio

Nasci em Angola em 1961 mas mudei-​​me para Por­tu­gal com 2 anos. Sou casado, e tenho dois filhos. Estu­dei eco­no­mia, pin­tura e design. Com um per­curso des­ses, obvi­a­mente, não con­se­gui ter­mi­nar nenhum curso.

Por sorte come­cei aos 18 anos a tra­ba­lhar em publi­ci­dade, pro­fis­são na qual me safei razo­a­vel­mente. Estreei-​​me como copy júnior na Sis­tema, pas­sei pela dire­ção cri­a­tiva na JWT e segui daí­ para sócio da Euro RSCG, onde estive quase dez anos.

Em 1998 resolvi expe­ri­men­tar outras escri­tas e lancei-​​me no gui­o­nismo. Escrevi os tele­fil­mes “Mus­tang” e “29 Gol­pes”, e fui coau­tor do tele­filme “Amor Per­dido” e das lon­gas metra­gens “A Selva”, “Tiro no Escuro”, “O Jul­ga­mento”, “Assalto ao Santa Maria” e “O Côn­sul de Bor­déus”, já produzidas.

Recen­te­mente ter­mi­nei os guiões das lon­gas metra­gens “Min­delo” e “Terra do Bravo”,os tele­fil­mes “Cone­xão”, “Mata Sete” e “Con­fi­den­cial”,  e as cur­tas metra­gens do pro­jecto “O Dez”. Tenho tam­bém à minha conta vários epi­só­dios da série da SIC “O Espí­rito da Lei”, da série da TVI “Ins­pec­tor Max” e da série “Liber­dade 21″ da RTP, assim como peças de tea­tro, cur­tas metra­gens e alguns guiões não pro­du­zi­dos, entre mui­tas outras coi­sas de pouca monta.

No total são mais de dois mil minu­tos de fic­ção audi­o­vi­sual pro­du­zida a par­tir dos meus guiões.

Em 20052006 vivi em Angola, onde fui dire­tor cri­a­tivo na agên­cia de publi­ci­dade Exe­cu­tive Cen­ter, e con­ti­nuei a escre­ver guiões para cinema e tele­vi­são, como autor asso­ci­ado das Pro­du­ções Fictícias.

Regres­sado a Por­tu­gal  vol­tei à minha posi­ção como asso­ci­ado das Pro­du­ções Fic­tí­cias, empresa que me repre­senta e agencia.

Recen­te­mente estreei-​​me na rea­li­za­ção de fic­ção com a curta metra­gem “O Pre­sente”, o que abriu uma nova linha de ati­vi­dade, para jun­tar a outras que vou man­tendo em para­lelo, como este blogue.

Desde há vários anos sou tam­bém asso­ci­ado da Asso­ci­a­ção Por­tu­guesa de Argu­men­tis­tas e Dra­ma­tur­gos, ocu­pando neste momento a pre­si­dên­cia da sua direc­ção. Tam­bém fiz parte da comis­são ins­ta­la­dora da Aca­de­mia Por­tu­guesa de Cinema, de que sou mem­bro fundador.

Em 2011 mudei-​​me de armas e baga­gens para o Bra­sil, estando a resi­dir em Manaus, no cora­ção da selva amazônica.

Gosto de cinema, evi­den­te­mente, mas tam­bém de lite­ra­tura, foto­gra­fia, arte (espe­ci­al­mente moderna e con­tem­po­râ­nea), fute­bol e do meu Mac.

Adoro cozi­nhar para os ami­gos e via­jar com a famí­lia. E tam­bém de via­jar com os ami­gos e cozi­nhar para a família.

Sou cató­lico, com pou­cas liga­ções à igreja; con­ser­va­dor, sem car­tão par­ti­dá­rio; e ben­fi­quista, sem lugar cativo.

Sou euro­peista, ibe­rista, tro­pi­ca­lista e sem­pre otimista.

Para quem isso inte­resse, sou sagi­tá­rio, búfalo e fogo.

Acre­dito que há vida inte­li­gente nou­tros pla­ne­tas; e, em cer­tas oca­siões, chego a acre­di­tar que tam­bém a haja neste.

Con­sulte o arquivo com­pleto dos meus arti­gos ou leia o meu cur­rí­culo com­pleto.