Um guião pode nascer de qualquer sensação, de qualquer acontecimento.

Um guião pode nascer de qualquer sensação, de qualquer acontecimento. O que é giro nas ideias, sobretudo quando as pomos em papel, é que elas crescem por si próprias. É como se as metêssemos no forno. (…) Começo a escrever um guião e não o leio. Escrevo-o até três quartos e fico muito deprimido… acabo por pô-lo de lado e começar outro. Mais tarde volto ao primeiro, digo ‘nem é assim tão mau’ e acabo-o. – Francis Ford Coppola, em entrevista à I de 22-01-2011

Estes artigos talvez lhe interessem

Contamos estórias para fazer sentido das coisas. Está no nosso sangue. — Lia Hills
Só há quatro estórias: a estória de amor entre duas pessoas; a estória de amor entre três pessoas; a luta pelo poder; e a viagem. Todos os livros que enchem as livrarias lidam com estes quatro arquétipos Paulo Coelho
"Eu escrevo quando estou inspirado, e faço questão de estar inspirado todos os dias às nove da manhã.” — Peter DeVries

Um comentário

  • Nélia 23/01/2011   Deixe uma resposta a →

    É bom estar em boa companhia. Tenho muitas vezes exactamente a mesma sensação. Será que todos os escritores passam por uma fase assim?

A sua opinião é importante. Deixe-a aqui:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: