≡ Menu
Sabatina: 03-05-2008
newimage.jpg

New+Image.JPG

Blind­ness” – Sara­mago no cinema.

Para esta semana, selec­ci­o­nei 6 arti­gos com­ple­ta­mente dife­ren­tes uns dos outros: um ensaio curi­oso de John August, a minha refe­rên­cia máxima de bloguista/​guionista, sobre aque­las cenas que tei­mam em não sair; o blo­gue do rea­li­za­dor Fer­nando Mei­rel­les sobre as fil­ma­gens de “Blind­ness”, o tal filme adap­tado do “Ensaio sobre a cegueira” de Sara­mago; uma refle­xão sobre os desa­fios do uni­verso digi­tal, da qual des­taco a frase “When copies are free, you need to sell things which can not be copied.”; um outro texto sobre o supe­ra­vit de tempo livre que a soci­e­dade actual tem e ainda não sabe uti­li­zar cri­a­ti­va­mente; e, final­mente, duas suges­tões para quem tiver sau­da­des do papel mili­mé­trico e quem tiver sau­da­des de andar des­calço sem medo do tétano. Boas leituras.

Acerca do autor: João Nunes é um autor, guionista e publicitário que divide o seu tempo entre Angola, Brasil e Portugal. Conta com mais de 3000 páginas de guiões produzidas sob a forma de longas metragens, telefilmes, e dezenas de episódios de séries de televisão.

1 comentário… add one

  • Firmino Bernardo 03/05/2008, 9:33

    Será que temos assim tanto tempo nos dias de hoje? Não será o tempo livre um mito urbano?
    Cada vez vejo mais pessoas a trabalhar até às tantas, sem tempo para um simples café com os amigos.
    E com a nova legislação laboral, que permite flexibilizar ainda mais os horários, nem quero imaginar.
    Cumprimentos.

Partilhe aqui as suas ideias e experiência