Perguntas & Respostas: porque é que não consigo chegar ao fim?

O meu problema é que começo a escrever as cenas, diálogos, mas depois, não gosto e apago, depois volto a escrever e apagar, e até eu ficar satisfeito, é preciso muita coisa, mas um dia acho que vou começar a por isto direitinho, com estas ajudas… É que tenho medo de estar a criar uma história seca, e eu quero uma história que deixe as pessoas ansiosas de ver a próxima cena. Posso escrever o guião, e ele nem sair do meu pc, mas ao menos fico satisfeito comigo mesmo.

Gonçalo

Gonçalo, você está no bom caminho. A única "regra" em que quase todos os guionistas estão de acordo é que uma boa história é aquela em que cada cena mantém o espectador curioso sobre o que vai acontecer a seguir. O guião pode estar cheio de "erros" técnicos, problemas estruturais, defeitos de caracterização, diálogos coxos mas, se conseguir manter o leitor agarrado, tem o essencial para poder vir a ser um grande guião. A reescrita serve essencialmente para corrigir todos esses outros problemas.

Quanto à sua questão concreta, cada guionista tem um método diferente de abordar as histórias, e você aparentemente ainda não encontrou o seu. Scott Frank referia, numa entrevista que destaquei aqui, que começa cada dia de escrita reescrevendo o que fez na véspera até chegar ao ponto onde parou. Outros guionistas, contudo, preferem escrever o primeiro draft o mais rapidamente possível sem olhar para trás (o que já ouvi chamar de "vomit draft"). Há autores que gostam de ter uma escaleta (step outline) muito detalhada antes de começarem a escrever; outros gostam de ter apenas uma ideia geral do caminho em que querem avançar e vão descobrindo a história passo a passo. Outros ainda variam o método de acordo com os prazos que têm e a natureza da história que estão a escrever.

Olhando para o seu problema, como o descreve, eu sugeriria que fizesse um planeamento prévio bastante detalhado da sua história antes de começar a escrever. Pode ser a escaleta cena a cena, ou um tratamento de uma dúzia de páginas, ou uma série de cartões de notas. Depois de estar satisfeito com esta estrutura de história, deveria então tentar escrevê-la toda de seguida, sem voltar atrás. Pense que depois de terminar a primeira versão do guião terá todo o tempo do mundo para a analisar, detectar os seus erros e problemas, e reescrevê-la a seu bel-prazer. Mas terá nessa altura a vantagem psicológica de já ter passado a fase da escrita; estará na reescrita, em que o lado racional já caminha lado a lado com o lado creativo de uma maneira mais proveitosa.

Só há uma maneira de saber se este método vai funcionar para si: é experimentá-lo num projecto concreto. Porque é que não aproveita a boleia do ScriptFrenzy?

Estes artigos talvez lhe interessem

2 comentários

  • ivana rowena 03/08/2010   Deixe uma resposta a →

    Olá, João!

    Gostaria de saber o que deve constar num projeto de seriado já que fui convidada a apresentá-lo a um diretor de televisão interessado.

    Como não tenho um modelo a que recorrer, lí o livro da Ellen Sandler mas ela fala no pitching, o que não é meu caso. Também pesquisei inúmeros seriados americanos já que no Brasil temos pouco acesso a este produto televisivo.

    O formato é de um seriado de 4 temporadas com 4 episódios cada, de 40´ + 3 intervalos comerciais por dia de exibição (semanal)

    agradeço se puder me responder…

Deixe a sua opinião ou comentário:

%d bloggers like this: