Dia de Luanda

Hoje foi Dia de Luanda. Feriado, como não podia deixar de ser. Não me adiantou muito, porque tive trabalho para fazer, mas já quebrou um pouco a rotina. Curiosamente, é também Dia da cidade de S. Paulo, no Brasil, e a Lu aproveitou melhor do que eu – foi até à  praia com as irmãs.

Continue a Ler

Um ano

Fez por estes dias um ano que eu, a Lu e a Sharon estamos aqui em Angola, enfrentando novos desafios, superando dificuldades e saudades, e descobrindo novos motivos de alegria, novos amigos, novas razões para celebrar. A todos os familiares e amigos que deixámos em Portugal e no Brasil, e que continuam a estar connosco, […]

Continue a Ler

Rio de Janeiro

Enquanto estive em Búzios tive necessidade de ir buscar os meus cunhados ao aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Como eles só chegavam às 23h00 eu e a Lu resolvemos aproveitar e passar o dia no Rio. Para a Lu era a oportunidade de rever uma cidade onde já viveu durante alguns meses, mas […]

Continue a Ler

Búzios

Búzios, o nosso destino de reveillon, é uma pení­nsula situada 150 kms a norte do Rio de Janeiro. Vista no mapa, ou no Google Earth, parece uma daquelas bactérias estranhas, cheias de braços e filamentos, que quando se alojam no nosso sistema digestivo nos prendem três dias à  sanita. A realidade, felizmente, é muito mais […]

Continue a Ler

Brasil

Passei o fim de ano com os meus filhos, em Búzios. Para eles foi uma experiência inédita, essa coisa de Natal com sol, praia e mar, em jeito de verão roubado ao inverno que por esses dias atormentava Portugal. Inédita, inesquecí­vel e, creio, viciante – já começaram a falar da próxima viagem ao Brasil e […]

Continue a Ler

Idiosincrasias Idiomáticas

O português que se fala em Angola tem um sabor especial que o distingue quer do de Portugal quer do brasileiro. O sotaque, claro, é o primeiro indicador dessa diferença. Mas há também o vocabulário particular, muito do qual até já fez a transição para a lí­ngua corrente em Portugal: kota, liamba, ganza, bué são […]

Continue a Ler

Sofrimento

Hoje sofri duas vezes e duas vezes fui recompensado. Angola e Portugal foram ambos apurados para a fase final do Mundial, depois de jogos algo decepcionantes e que me deram cabo das unhas. Mas valeu a pena o sofrimento. Para o ano que vem vou ter três equipas por quem torcer (contando também com o […]

Continue a Ler

Campismo Selvagem

Olhando para o meu jeep atolado na lama, numa praia quase deserta, sob o olhar curioso de dois miúditos negros, tive um ligeiro momento de dúvida: “Será que fui mesmo feito para o campismo selvagem?” Tí­nhamos acabado de chegar a Cabo Ledo, onde í­amos estrear uma tenda e um saco-cama comprados nos saldos da SportZone, […]

Continue a Ler

FILDA

O meio do ano empresarial em Angola é marcado pela FILDA – a Feira Industrial. Para nós, na agência, há o “a.F” e o “d.F” – antes e depois da FILDA. Visitei-a na sexta feira, para saber que coisa rara é essa que tanto trabalho e preocupaíões me deu nas últimas semanas. Citando Shakespeare, “much […]

Continue a Ler

A Selva

Hoje vi “A Selva” no Lusomundo Gallery. “A Selva”, ou o que restou dela, depois de um corte e recorte “selvático” (perdoem-me o trocadilho). Não sei quantos minutos retiraram a esta versão televisiva, mas o que sobrou tem tantos buracos narrativos, tantos saltos, tantas falhas e incoerências que mal se mantém de pé. Se se […]

Continue a Ler

Kalulu

A minha cozinheira Domingas presenteou-me hoje com um prato típico angolano: o kalulu de carne seca. O G., um colega brasileiro, almoçou comigo e pode confirmar que o resultado foi excelente. Aqui fica a receita: De véspera deixa-se a carne seca de molho em bastante água. Na altura de cozer troca-se a água e põe-se […]

Continue a Ler

Preparativos

Estas semanas em Portugal – quatro – passaram num ápice; entre a famí­lia, os amigos, a casa e alguns trabalhos que tinham ficado pendurados, os dias atropelaram-se e agora, subitamente, dou comigo a pensar de novo em fazer as malas…. Pode ser que em Agosto, quando voltar cá, tenha tempo para dar um passeio por essas bandas.

Continue a Ler

Festa

Revi todos os meus tios e tias e boa parte dos meus primos.Um destaque especial para o Bruno, que passou os últimos meses no Peru e Brasil, a estudar (e ensinar) medicinas alternativas e medicamentos naturais. Passámos um bom bocado a falar dessa experiência e a discutir uma pesquisa pessoal que ele comeíou a desenvolver nessa viagem, onde mistura arte, caligrafia, fotografia, diário í­ntimo e poesia.

Continue a Ler

Skipe

O Skipe funciona perfeitamente. Falei ontem longamente com a minha mãe, em Portugal, e a Lu também esteve imenso tempo ao telefone com a mãe dela, no Brasil. No total gastámos menos de três dólares, mais a tarifa das chamadas locais. Boas notí­cias, portanto.

Continue a Ler