Depois do Facebook é a vez do Wikileaks

Depois do bem sucedido filme A Rede Social, que conta a história do criador do site de relacionamentos mais famoso do mundo, o Facebook, parece que todos os olhos se voltam agora para o site Wikileaks. Nesta quarta-feira, dia 03, o site Deadline.com e jornal Guardian anunciaram que a DreamWorks, comprou os direitos do livro "Wikileaks: inside Julian Assange's war on secrecy", de David Leigh e Luke Harding, jornalistas do próprio jornal Guardian. Segundo o site, a produtora ainda não contratou um roteirista.

O site Wikileaks é um dos grandes fenômenos da internet dos últimos meses depois que revelou ao mundo documentos secretos de vários países. Seu fundador, Julian Assange, também conseguiu destaque com a disputa judicial envolvendo uma complicada trama de sexo, informações secretas e ciberativismo. Alguém duvida que essa história pode virar um grande filme?

Parece que os empresários da DreamWorks, incluindo Steven Spielberg, querem apostar no modelo de adaptação usado por Aaron Sorkin em A Rede Social, usando depoimentos e testemunhos dos processos legais para abordar a vida de Assange.

Mas DreamWorks não está sozinha na corrida para contar a história do Wikileaks, a Universal, HBO e até a BBC prometem produções sobre Julian Assange. Mark Boal, roteirista de Guerra ao Terror, também trabalha numa adaptação de um artigo do NY Times sobre o mesmo tema.

E você, gostaria de contar essa história?

Depois do Facebook é a vez do Wikileaks

Este Artigo Tem Um Comentário

  1. A estória mais interessante ainda é a do Bradley Manning. Amanhã ou depois publico um artigo sobre ele…

A sua opinião é importante. Deixe-a aqui:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Grace I. Barbosa

Grace I. Bar­bosa é casada, e bra­si­leira ape­sar de não saber sam­bar, não jogar fute­bol, e não con­se­guir fazer uma boa caipirinha. Enquanto não escreve a sua obra-prima tem o jor­na­lismo como sus­tento e pro­fis­são.