Os vencedores dos Oscares 2011

O Discurso do Rei e A Origem empataram a 4 na noite dos Oscares.

Numa noite sóbria e sem grandes surpresas, O Discurso do Rei levou as estatuetas mais cobiçadas de Melhor Filme e Melhor Realizador, Colin Firth levou o Oscar de Melhor Actor e David Seidler o de Melhor Argumento Original.

A Rede Social, outro dos grandes favoritos este ano, conseguiu 3 Oscares, em Argumento Adaptado, de Aaron Sorkin, Banda Sonora Original e Melhor Edição.

A Origem conquistou nas categorias técnicas, tendo arrecadado os prémios para Fotografia, Edição Sonora, Efeitos Sonoros e Efeitos Visuais.

The Fighter conseguiu vencer 2 Oscares nas categorias de Actor Secundário, Christian Bale, e Actriz Secundária, Melissa Leo. Já o prémio de Melhor Actriz foi entregue a Natalie Portman pelo seu papel em Cisne Negro.

Uma das poucas surpresas da noite foi talvez a da entrega do Oscar de Melhor Documentário a Inside Job. Ainda não foi desta que soubemos se Banksy é, na verdade, Justin Timberlake…

Os vencedores dos Oscares 2011

Este Artigo Tem 2 Comentários

  1. João Nunes

    Não me parece que o Inside Job tenha sido grande surpresa. A Academia é conhecida pelas suas tendências políticas mais de esquerda (na perspetiva americana, obviamente) e por isso um filme com esta mensagem era um candidato natural ao prémio.
    O documentário do Banksy pareceu ganhar algum fôlego nos últimos dias, mas isso deveu-se mais à recetividade dos media aos seus “números” de auto-promoção do que a qualquer inflexão no sentido de voto dos membros.

  2. Nélia Matos

    Eu também me inclinava para o Inside Job, que gostei muito, mas andava a ouvir tanto favoritismo para o Exit Throught The Gift Shop que fiquei agradavelmente surpreendida pelo documentário por quem estava a torcer :)

A sua opinião é importante. Deixe-a aqui:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Nélia Matos

Nélia Matos é Licen­ci­ada em Bio­lo­gia, com tra­ba­lhos publi­ca­dos na área da Neurofisiologia. A escrita esteve sem­pre a par da sua car­reira cien­tí­fica. Con­tri­buiu com arti­gos de divul­ga­ção cien­tí­fica e de opi­nião para jor­nais e blogs, mas foi em 2004 que escreveu a sua pri­meira peça de tea­tro. Em 2008 fez o seu pri­meiro curso de escrita para cinema e desde então escreveu várias cur­tas e longas metra­gens.