Nada é original. Rouba tudo o que mexer com a inspiração ou incendiar a tua imaginação. Devora filmes antigos, filmes novos, música, livros, pinturas, fotografias, poemas, sonhos, conversas ao acaso, arquitetura, pontes, sinais de rua, árvores, nuvens, corpos de água, luz e sombras. Mas sê seletivo e rouba apenas coisas que falem diretamente à tua alma. Se fizeres isto, a tua obra (e roubo) será autêntica. A autenticidade é o bem mais valioso; a originalidade não existe. – Jim Jarmusch

Nada é original. Rouba tudo o que mexer com a inspiração ou incendiar a tua imaginação. Devora filmes antigos, filmes novos, música, livros, pinturas, fotografias, poemas, sonhos, conversas ao acaso, arquitetura, pontes, sinais de rua, árvores, nuvens, corpos de água, luz e sombras. Mas sê seletivo e rouba apenas coisas que falem diretamente à tua alma. Se fizeres isto, a tua obra (e roubo) será autêntica. A autenticidade é o bem mais valioso; a originalidade não existe. – Jim Jarmusch

Este Artigo Tem 3 Comentários

  1. Pedro Ribeiro

    Não poderia estar mais de acordo, não só na escrita, mas em todas as áreas.

  2. Rosa

    Foi direto.

A sua opinião é importante. Deixe-a aqui:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

João Nunes

João Nunes é um autor, guionista e storyteller que gosta de ajudar os outros a contar as suas próprias estórias. Divide o seu tempo entre Angola, Brasil e Portugal e já escreveu mais de 3500 páginas de guiões produzidos de curtas e longas metragens, telefilmes e séries de televisão.