Contagem final

Dia 25 deste mês, se tudo correr como está previsto, regresso definitivamente a Portugal, depois de quase dois anos em Angola. É um capí­tulo da minha vida que se vai fechar. Um capí­tulo que eu voltaria a escrever da mesma maneira, mais coisa menos coisa, se tivesse oportunidade de voltar ao iní­cio, í quela noite em […]

Continue a Ler

Bom senso

Enquanto estava na esplanada um miúdo de rua pediu-me dinheiro. Tinha dois pensos grandes na testa, cruzados como nos desenhos animados, mas sem a graía dos desenhos animados. Estava descalío. Por um momento pensei em dar-lhe as minhas havaianas e regressar assim a casa, afinal de contas era só atravessar a rua. É claro que […]

Continue a Ler

Tugas – actualizada

Fiquei hoje a saber que a expressão “tugas” é de origem angolana. Desconfio que essa expressão, que hoje integrámos na designaíão da nossa selecíão de futebol (e do povo português em geral), não terá sido muito elogiosa na sua origem. Em jeito de nota de rodapé, os angolanos de hoje já não dizem “os tugas”; […]

Continue a Ler

Equilí­brio

Se há coisa que continue a surpreender-me, um ano e meio depois de ter vindo para cá, é o sentido de equilí­brio das mulheres angolanas. Transportam tudo em cima das cabeías – alguidares cheios de frutas ou sapatos, caixas, embrulhos, garrafões de água, bidões de combustí­vel e bilhas de gás, pacotes de latas, maíos de […]

Continue a Ler

Outro costume

As mulheres do povo andam com as crianías í s costas, presas por um pano, como se de uma mochila se tratasse. É frequente ver moías novas com um bebé de um ou dois anos nessa posiíão, e a barriga proeminente de uma gravidez de vários meses, qual contrapeso. Tenho dúvidas quanto ao mérito dessa soluíão. […]

Continue a Ler

Angola x Portugal

Hoje à noite Portugal e Angola encontram-se na sua primeira participação neste Mundial 2006. Não vou dizer que estou dividido, porque seria hipocrisia minha. Espero que Portugal ganhe, porque cada ponto é precioso para nos garantir o apuramento para os oitavos de final. Mas também não estaria a ser honesto se não dissesse que gostaria […]

Continue a Ler

Revelação

Descobri ontem que há moedas em Angola. Moedas, redondinhas, de metal, daquelas que tilintam nos bolsos e se jogam ao ar para tirar sortes. Depois de um ano e meio a manusear notas (geralmente sebentas) sem que nenhuma moeda me passasse sequer pela vista, muito menos pelas mãos, fui ontem informado da sua existência. Não […]

Continue a Ler

Crianças de rua

Quando vim para cá tive de enfrentar um dilema que, mais cedo ou mais tarde, atormenta todos os visitantes de Angola: dar ou não dar dinheiro às crianças de rua. É difí­cil ver miúdos da idade dos meus filhos, de mão estendida, a pedir dinheiro para comer, às vezes à beira das lágrimas. E são […]

Continue a Ler

O mito do marisco

Uma pergunta recorrente que me fazem quando estou em Portugal é “já deves estar enjoado de tanto marisco lá em Angola ?”. Vou responder de uma vez por todas: “Não, infelizmente não estou.” As razões são duas, que se complementam: em primeiro lugar, por que há muito pouco; em segundo, porque o que há é […]

Continue a Ler

Roque

O Roque Santeiro é, alegadamente, o maior mercado ao ar livre de África. Em relação a ele tenho sentimentos divididos: por um lado, desperta-me uma enorme curiosidade – como publicitário, sinto que o devia conhecer para compreender melhor uma parte importante da população para quem crio anúncios; mas, por outro lado, tenho um grande receio […]

Continue a Ler

Bohemia

Finalmente laníaram a cerveja Sagres Bohemia aqui em Angola. E fizeram-no com um posicionamento muito curioso, colocando-a praticamente ao preío das cervejas nacionais, e a pouco mais de metade de importadas como a Heineken. A Bohemia, devo esclarecer, é a minha cerveja favorita. Nas últimas férias em Portugal bebi a minha dose, normalmente a acompanhar […]

Continue a Ler

Havaianas

Adoro as havaianas. São um dos melhores exemplos de design popular, com a sua forma perfeitamente adaptada í  funíão, confortáveis nos climas quentes, baratas e, hoje em dia, suficientemente diferenciadas para não se tornarem monótonas. São grandes democratizadoras, atravessando todas as classes sociais e agradando a toda a gente. E, felizmente, entraram na moda há […]

Continue a Ler

Feriado

Veja o Video Hoje é dia de ífrica, feriado. Luanda está muito mais calma do que o costume. Este filminho é uma vista da janela aqui da agência. Não é muito interessante, mas eu estou encantado com este plugin – vPIP – que me permite pôr ví­deos no blogue. Desculpem lá o mau jeito…

Continue a Ler

Calma

Luanda está bastante mais calma. Penso que é da chegada do cacimbo e das temperaturas mais baixas. O povo sua menos, enerva-se menos, bebe menos, discute menos. Até o trânsito está – ligeiramente – menos confuso. Hoje passei o dia na sede de um dos nossos clientes, a acompanhar um trabalho. É na baixa de […]

Continue a Ler

Mudanças

Estive fora pouco mais de duas semanas, mas coincidiram com um momento de grandes mudanças na agência. No departamento criativo, saiu um director de arte e entrou uma dupla nova e um estagiário. Esperam-se ainda outros reforços para breve, na parte de design e finalização. O departamento de contacto ganhou – finalmente – uma nova […]

Continue a Ler

De volta

Cá estou de novo na labuta, com as energias renovadas, o coraíão descansado e a cabeía limpa. Vou aproveitar  para pôr em dia este blog e registar um monte de pormenores da vida em Angola sobre os quais ainda não escrevi. Além disso, trouxe uma máquina fotográfica nova, que vai andar sempre comigo. Espero por […]

Continue a Ler

Feriados

Entre os países de língua oficial portuguesa, Angola está à frente em número de feriados oficiais nacionais, com 15 celebrações. Para ser honestos, 14 1/2, porque o 24 de Dezembro é referenciado apenas como meio feriado, um conceito engraçado. Portugal segue de perto, com 14 feriados nacionais, com o Brasil logo no encalço, com 13. […]

Continue a Ler

Dia da Paz

Ontem foi feriado. Dia da Paz e Reconciliação Nacional. Basicamente, é o dia de celebrar a morte de Jonas Savimbi, que abriu caminho ao fim da guerra e ao processo de normalização da vida de Angola. É triste reconhecer isto, mas é verdade – em Angola não foi o diálogo, o entendimento e a pressão […]

Continue a Ler