Perguntas & Respostas: Para que servem os dois traços?

O que significam os dois traços em um diálogo? Estes “- -” aparecem muitas vezes em falas de personagens, mas quando eu analiso o roteiro ao mesmo tempo que vejo o filme não entendo o seu significado. – Bruno

Olá Bruno, os dois hífens seguidos (- -) são usados em diálogos de várias maneiras, por vários guionistas. Não há uma regra de utilização tão estrita como noutros casos, daí às vezes ser mais difícil interpretar o seu significado.

No entanto, normalmente estão associados a algum tipo de descontinuidade no discurso do personagem que está a falar.

Vejamos, como exemplo, algumas situações em que se poderiam usar os dois hífens. Volto a frisar que estas opções não são as únicas possíveis, e que diferentes guionistas poderiam resolver estas situações de outra maneira, sem recorrer a eles.

Mostrar uma fala interrompida por alguma coisa ou pessoa

Quando um personagem está a falar e é subitamente interrompido, podemos usar os dois hífens para mostrar essa interrupção.

BRUNO

Eu não entendo porque é que--

JOÃO

(interrompendo)

Eu também não entendo muita coisa.

Nesta situação, seria também possível usar-se só um hífen (-), ou uma meia-risca (—) ou até três pontos (…) para mostrar a interrupção.

Mostrar uma continuação de fala, ou de descrição, para outra cena.

Se uma fala de um personagem, por exemplo um monólogo em off, muda de uma cena para outra, podemos usá-los para indicar a continuidade do diálogo.

JOÃO (V.O.)

Eu também nunca entendi --

MUDA DE CENA

JOÃO (V.O.)

--porque é que usam essa coisa dos dois traços nos diálogos.

Neste caso usa-se também muitas vezes os três pontos (…) para fazer a ligação.

Um discurso composto por falas de várias pessoas.

Um caso mais particular será uma situação em que várias pessoas falam quase em simultâneo. Os dois hífens podem servir para separar esses excertos de diálogos.

Um murmúrio ergue-se da multidão.

MULTIDÃO

O que é que ele está a fazer? -- Está a usar dois traços? --  Estranho, estranho -- Nunca vi nada assim -- Ninguém vai fazer nada?--

Mostrar confusão ou indecisão

João está debruçado sobre o teclado. Fala sozinho, como nas telenovelas.

JOÃO

(para si mesmo)

Deve usar -- não devo -- sei lá -- estou confuso -- porque é que me fazem estas perguntas --

Termino com um exemplo real retirado do guião de American Sniper, escrito por Jason Hall (tradução minha), em que os dois hífens são usados de várias formas. Pode haver outras situações de aplicação, mas não perca muito tempo a pensar nisso. Se não se sentir confortável a usar os dois traços/hífens não use; ninguém vai sentir falta deles.

INT. QUARTO DE CHRIS

Bolas de poeira flutuam sobre um armário, pousando numa bola de futebol americano, numa Bíblia azul e em ALGUNS SOLDADINHOS METÁLICOS que guardam o invólucro da munição usada para abater o seu primeiro veado.

WAYNE KYLE (VO)

Há três tipos de pessoas neste mundo. Ovelhas, lobos e cães pastores.

A CÂMARA AVANÇA ATRAVÉS de uma modesta casa de rancho e entra na--

INT. SALA DE JANTAR

WAYNE dá um sermão aos filhos enquanto come veado.

WAYNE KYLE

Algumas pessoas preferem acreditar que o mal não existe neste mundo, e que se alguma vez assomasse às suas portas saberiam como proteger-se... essas são as ovelhas.

Jeff aguenta as lágrimas. Chris parece perturbado.

EXT. PÁTIO DA ESCOLA

DE LONGE, vemos um MIÚDO GRANDE, um BULLY, que está a esmurrar um outro GAROTO caído no chão. Os seus punhos volumosos descem repetidamente enquanto--

WAYNE KYLE (VO)

Depois há os predadores que usam a violência para abusar dos mais fracos. Esses são os lobos.

O GAROTO NO CHÃO é JEFF, o seu nariz sangrento. CÂMARA AVANÇA PARA

a luta--(ECU) gotas de sangue saltam do punho do Bully.

WAYNE KYLE (VO)

E há ainda aqueles que são abençoados pelo dom da agressividade e uma necessidade premente de proteger o rebanho.

UM PUNHO ACERTA na têmpora do BULLY. O miúdo cai. Chris debruça-se sobre ele, dando-lhe um enxerto de pancada.

WAYNE KYLE (VO)

Esses são a espécie rara que existe apenas para confrontar o lobo--

EXT. CAMPO

CHRIS está de pé com os braços abertos. O vento sopra a poeira das palmas das suas mãos e desenha penachos na terra seca.

WAYNE KYLE (VO)

Esses são os cães pastores.

INT. DINING ROOM

WAYNE retira o cinto das calças e pousa-o na mesa. CHRIS olha-o, preocupado.

WAYNE KYLE

Agora nesta família não estamos a criar ovelhas, e eu dou cabo de vocês se se transformarem em lobos--

DEBBY

Wayne--

WAYNE

Mas nós tomamos conta dos nossos. E se alguém começar uma briga convosco ou abusar do vosso irmão, têm a minha autorização para resolver o assunto.

CHRIS

Ele estava a abusar do Jeff.

WAYNE KYLE

Isso é verdade?

JEFF

(olho inchado)

Sim, senhor... Estava, sim...

WAYNE KYLE

(para Chris)

E resolveste o assunto?

Chris mostra os nós dos dedos inchados, e acena.

WAYNE

Então já sabes que tipo de pessoa és...

EXT. CELEIRO

UM HOMEM FEITO (CHRIS) sai do celeiro para a luz do sol. Atrás dele vemos as presas de dúzias de veados a decorar as paredes.

WAYNE (VO)

Sabes qual é o teu propósito.

A porta do celeiro fecha-se deixando-nos na escuridão.

Perguntas & Respostas: Para que servem os dois traços?

A sua opinião é importante. Deixe-a aqui:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

João Nunes

João Nunes é um autor, guionista e storyteller que gosta de ajudar os outros a contar as suas próprias estórias. Divide o seu tempo entre Angola, Brasil e Portugal e já escreveu mais de 3500 páginas de guiões produzidos de curtas e longas metragens, telefilmes e séries de televisão.