O software de Quentin Tarantino

Quentin Tarantino escreve os seus guiões, incluindo o mais recente, “Grindhouse”, usando uma das mais antigas combinações de hardware e software conhecidas: canetas e um bloco de papel. Numa entrevista recente o guionista e realizador descreveu o início do seu método de trabalho:

Eu não sou supersticioso na minha vida diária, mas fico assim quando se trata da escrita, apesar de saber que isso tudo são tretas. (…) O meu ritual é nunca usar uma máquina de escrever ou computador. Escrevo tudo à mão. É como uma cerimónia. Vou a uma loja de materiais de escritório e compro um bloco de notas – um e não dez. Compro só um e encho-o até ao fim. Depois compro uma pilha de canetas de feltro vermelhas e uma pilha de canetas de feltro pretas, e digo para mim mesmo, “Estas são as canetas com que vou escrever “Grindhouse”.

Provavelmente QT tem depois um assistente para converter o seu guião manuscrito ao formato convencional, mas isto serve para nos recordar que, no fundo, no fundo, o que interessa é o resultado final; o método para lá chegar será sempre secundário.

O software de Quentin Tarantino

Este Artigo Tem 6 Comentários

A sua opinião é importante. Deixe-a aqui:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Próximo ArtigoRead more articles

João Nunes

João Nunes é um autor, guionista e storyteller que gosta de ajudar os outros a contar as suas próprias estórias. Divide o seu tempo entre Angola, Brasil e Portugal e já escreveu mais de 3500 páginas de guiões produzidos de curtas e longas metragens, telefilmes e séries de televisão.