Notas sobre o workshop na Guiné

Nos passados dias 7 e 8 de de Dezembro decorreu no Centro Cultura Português em Bissau o workshop de escrita de guião audiovisual, onde fui docente.

Uma selfie durante um exercício prático.
Uma selfie durante um exercício prático.

A iniciativa nasceu na Associação de Escritores da Guiné-Bissau e contou com o patrocínio do Instituto Camões e dos serviços de cooperação da Embaixada de Portugal, representados pelo António Nunes e Paula Matos Costa, e ainda com a participação do PEN Clube da Guiné.
Gostaria de destacar os papéis desempenhados pelos escritores Abdulai Silá e Edson Incopté na concepção, dinamização e concretização deste projeto.

António Nunes, Paula Matos Costa e Abdulai Silá, durante a entrega de diplomas.
António Nunes, Paula Matos Costa e Abdulai Silá, durante a entrega de diplomas.

Uma palavra especial ainda para o senhor Fodé Sambi, que no dia seguinte ao workshop me conduziu até Cachéu, num passeio que não esquecerei tão brevemente.
Que me perdoem todos os outros que possam ter contribuído para esta iniciativa e que eu esteja a esquecer de mencionar.

O workshop

O workshop desenvolveu-se ao longo de dois dias, divididos em quatro módulos, que culminaram numa tarde de prática de escrita de guião. No total foram doze horas intensas de trabalho, temperadas pelo entusiasmo, simpatia e bom humor de todos os envolvidos.

Uma turma motivada e interessada.
Uma turma motivada e interessada.

Penso que a iniciativa foi um sucesso, o que é um grande motivo de orgulho para mim. Para este resultado contribuíram meia dúzia de fatores que quero realçar:

  1. Uma turma de pessoas altamente motivadas e interessadas no tema do workshop, a escrita de guiões para cinema e televisão. Os alunos, de ambos os sexos, idades diversas e variadas experiências de vida, foram sempre receptivos, atentos, participativos e tolerantes das minhas falhas. Para todos, sem exceção, um grande obrigado.
  2. Uma equipa de organização, com destaque para a Paula Matos Costa e o António Nunes, que revelou grande competência e não se poupou a esforços para criar as condições necessárias para o sucesso. Não posso estar-lhes mais agradecido.
  3. Uma sala com ótimas condições, quer em dimensão, quer em meios materiais e técnicos. Boa acústica, um excelente projetor e condições de trabalho adequadas para os alunos, foram elementos essenciais.
  4. Os dois almoços, que foram servidos na própria sala, permitindo reduzir as pausas para as refeições e maximizar o aproveitamento do tempo, sempre curto neste tipo de ações.
  5. A dignidade concedida à iniciativa, tanto pelos participantes como pela organização, que se manifestou plenamente na entrega dos certificados, ao fim da tarde de domingo.
  6. E, finalmente, um formador (eu ;) muito entusiasmado com esta oportunidade de conviver, partilhar conhecimentos e aprender com um grupo tão fantástico como o que ali foi reunido.
Um aplauso para os organizadores.
Um aplauso para os organizadores.

Apesar de ter sido um actividade bastante cansativa, estava pronto para recomeçar já amanhã. Acho que daqui em diante vou dedicar mais tempo à organização de ações de formação, pois é uma coisa que me dá sempre muita satisfação.

Notas sobre o workshop na Guiné

A sua opinião é importante. Deixe-a aqui:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

João Nunes

João Nunes é um autor, guionista e storyteller que gosta de ajudar os outros a contar as suas próprias estórias. Divide o seu tempo entre Angola, Brasil e Portugal e já escreveu mais de 3500 páginas de guiões produzidos de curtas e longas metragens, telefilmes e séries de televisão.